Top 15: As melhores músicas dos JRPGs de todos os tempos 2


12 Flares Facebook 5 Twitter 5 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- 12 Flares ×

igor_queiroz_top_15_melhores_musicas_de_jrpgs.2013.08.01

Salve, salve, nerdalhada! Aqui estou eu tentando tocar para frente mais um novo projeto do Who’s Nerd?. O projeto no caso é uma sessão semanal de TOP 15 melhores (ou piores) coisas relacionadas com a cultura nerd. Portanto, a partir dessa data, toda Quinta-feira estaremos com uma nova lista de 15 coisas notáveis do mundo nerd.

Top 15 melhores músicas de JRPGs

Há algum tempo pensei em elaborar uma lista das melhores músicas dos JRPGs que já tive o prazer de jogar. Dito isso, perceba que essa lista é baseada única e exclusivamente na experiência “gamística’ desse que vos escreve. Senta, leia e se deliciei com as melhores melodias dos JRPGs de todos os tempos. Antes que eu esqueça, não deixem de utilizar o espaço de comentários para comentar(dãã), discutir e/ou sugerir novos temas para os próximos posts.

15 – Everything’s Alright – To The Moon

Começo por essa não pela qualidade da música, visto que se eu levasse em conta todos as restrições da criação de To The Moon, facilmente a colocaria em primeiro lugar, mas sim pelo fato de que de todos os jogos dessa lista, o que mais foge ao gênero JRPG é ele (que inclusive faz uma sátira de um encontro aleatório). Portanto, na belíssima voz da cantora Laura Shigihara, “Everything’s Alright” levou a décima quinta posição honrosamente.

Motivo: É impossível após algumas horas de jogo, não se emocionar com essa música de To The Moon, que além da letra ser minuciosamente ajustada com o contexto do jogo, conta com a lacrimejante interpretação da Laura Shigihara.

14 – Battle #3 – Lufia II: Rise of the Sinistrals

Lufia II não é de conhecimento de muitos, até por ser um jogo da era dos consoles 16-bit (da época que se considerava a quantidade de bit do processador de um console) e imagino que alguns tantos de nossos leitores não tenham aproveitado os clássicos dessa época, mas apesar das limitações sonoras do console da Nintendo (Lufia II era exclusivo do SNES), o compositor Yasunori Shiono conseguiu executar um excelente trabalho, trazendo composições memoráveis até os dias de hoje, e uma delas é “Battle #3“, tema da primeira batalha contra o temível Gades.

Motivo: Apesar de Lufia II ter um enredo consideravelmente simples, todo o suspense criado em torno dos Sinistrals nos eventos que antecedem ao primeiro encontro com Gades, o Sinistral da Destruição, se fazem valer a pena, por nos trazer uma das batalhas mais épicas dos JRPGs de outrora, combinada a música intitulada apenas de “Battle #3“, que é a cereja do bolo de toda essa mistura. “Battle #3” possui vários elementos de rock, que casam perfeitamente com o clima nervoso dessa batalha.

E aqui você encontra a versão para o Nintendo DS: Battle #3

13 – Kiss Me Good-Bye – Final Fantasy XII

Como já era de se esperar, uma das franquias mais consagradas do subgênero JRPG eventualmente iria aparecer aqui nesse TOP 15 (E não se espante se houverem mais músicas de FF’s nessa lista), e a décima terceira música dessa lista é conhecida como “Kiss Me Good-Bye“, cantada pela talentosa Angela Aki, e composta pelo Mestre Mór dos compositores de Jogos, Nobuo Uematsu.

Motivo: Por ter sido predominantemente criado com composições de Hitoshi Sakimoto, Final Fantasy XII, em termos de sonoridade, mais parecia uma representação moderna do spin-off da série Final Fantasy Tactics, do que dos tradicionais Final Fantasies antecessores a ele, e por isso essa música é o que representa a ligação musical desse FF com os demais. Nada contra o Sakamoto, mas Uematsu é Uematsu.

Curiosidade: Esse foi o único trabalho de Nobuo Uematsu em Final Fantasy XII, já que o mesmo já havia saído da Square Enix em 2004. A maior parte das composições de FF XII foi feita pelo Hitoshi Sakimoto, conhecido compositor do jogo Final Fantasy Tactics.

12 – ~ Opening Animation ~ – Breath of Fire IV

Apesar da série de ótimos JRPGs da Capcom ter caído em um limbo que parece não ter mais volta, esse jogo em especial deixou um legado de uma excelente trilha sonora, com vários temas estilizados que vão desde os instrumentos orientais, até alguns tons mais tribais. Dentre as várias belas músicas de Breath of Fire IV, a escolhida como detentora do título de décima segunda melhor música dos JRPGs de todos os tempos foi a “~ Opening Animation ~“, criação do compositor Taro Iwashiro.

Motivo: Breath of Fire nunca foi tão sombrio e místico quanto em sua quarta versão, e a música de introdução reflete exatamente todo esse clima místico e nebuloso, com a utilização de alguns instrumentos orientais de origem indiana (acredito que dentre eles tenha o Sitar, não tenho certeza), além de uma voz ao fundo caracteristicamente indiana.

Curiosidade: Apesar da composição escolhida ter sido a do Taro Iwashiro, vale lembrar que praticamente todas as músicas de Breath of Fire IV foram compostas pela compositora Yoshino Aoki, que fez um trabalho magnífico em BoF IV.

11 – The Edge of the World – Grandia

Apesar de ser um excelente jogo, Grandia não é tão popular como as séries Final Fantasy e Dragon Quest, mas uma das suas grandes qualidades reside em sua trilha sonora, que diga-se de passagem é para lá de envolvente. O excelente trabalho musical de Grandia é mérito do compositor Noriyuki Iwadare, que trouxe uma trilha sonora extraordinária para os consoles Sega Saturn, Playstation e posteriormente para PSN.

Motivo: “The Edge of the World” é uma daquelas músicas que uma vez que você escuta, é difícil não ficar com ela na cabeça. É uma melodia calma, porém grandiosa, que se encaixa perfeitamente com o momento em que ela é apresentada lembrando melodias clássicas da década de 80.

Curiosidade: A música tema “Theme of Grandia” foi composta em apenas uma noite por Noriyuki Iwadare após ver uma ilustração do jogo. É ou não é um trabalho de um verdadeiro mestre?

10 – Melodies of Life – Final Fantasy IX

Final Fantasy IX foi criado e concebido como um jogo da franquia para acalentar os corações saudosos por histórias de fantasia medieval, com reinos, magias e personagens SD (Super Deformed). Esse “fan service” na época não agradou gregos e troianos, pois muitos novos fãs da série simplesmente não se interessaram por uma história mais infantilizada e personagens caricatos demais (Final Fantasy IX tem deles aos montes). De qualquer forma, a sonoridade de Final Fantasy IX acompanha de forma maestral todo esse universo fantasioso e clássico. Nobuo Uematsu mais uma vez empresta todo o seu talento para fazer essa magia acontecer, e a “Melodies of Life“, cantada pela exímia cantora Emiko Shiratori, traz toda a melancolia e romantismo presente no enredo desse que eu considero o último Final Fantasy que merece meu respeito.

Motivo: Não tem como falar de FF IX sem falar de “Melodies of Life“, pois ao longo do jogo nos são apresentadas várias modificações dessa música que encerra o jogo com chave de ouro. É realmente emocionante assistir aos momentos finais de Final Fantasy IX ao som de “Melodies of Life“, depois de todas as desventuras de Zidane, Princesa Garnet (Dagger) e companhia. Uma bela música para um grupo seleto de fãs saudosos.

Extra: A versão original já é esplêndida, mas essa versão cantada pela Emiko Shiratori no espetáculo Voices: Music From Final Fantasy, é simplesmente sublime: Melodies of Life.

09 – Kokoro – Xenosaga Episode I: Der Wille zur Macht

Eis que temos o sucessor (ou predecessor se levarmos em conta a cronologia) espiritual de Xenogears, que contou com a maior parte do time que participou da criação da obra prima da Squaresoft (na época era Squaresoft mesmo), e desse time remanescente, um dos melhores compositores de jogos de todos os tempos (na minha humilde opinião) estava presente, e era ele nada mais, nada menos do que Yasunori Mitsuda. E Mitsuda conseguiu mais uma vez brilhar com as composições magníficas de Xenosaga, que acabou por levar merecidamente a nona posição nesse TOP 15 com a canção “Kokoro“, cantada pela magnífica voz de Joanne Hogg.

Motivo: Poderia dizer apenas que a combinação da impecabilidade do trabalho de Yasunori Mitsuda e a voz angelical da cantora de música celta Joanne Hogg já seriam suficientes para garantir uma boa colocação nessa lista, mas vou além. “Kokoro” cela a ligação tácita entre Xenogears e Xenosaga aos mostrar mais uma vez nos créditos a tocante voz de Joanne Hogg, que já havia mostrado o seu talento em Xenogears nas canções “Small Two of Pieces” e “Star of Tears“, nos deixando simplesmente fascinados com o desfecho desse primeiro episódio da trilogia Xenosaga.

Extra: Xenosaga possui uma trilha sonora bastante sombria, principalmente se comparada a do seu predecessor, e dentre as minhas prediletas (fora a “Kokoro“, obviamente ) a “Pain” (também na voz de Joanne Hogg) e  “Sorrow“.

08 – One Winged Angel – Final Fantasy VII

Apesar de ser (talvez) o meu Final Fantasy favorito (muito devido a ter sido o meu primeiro FF), e apesar da sétima versão possuir lindas e nostálgicas melodias, ainda assim não posso negar que em comparação com as outras obras musicais seguintes, FF VII não foi tão competente quanto, e por isso, a música “One Winged Angel“, composta pelo já supracitado Nobuo Uematsu, recebe o oitavo lugar dessa lista.

Motivo: Em um tempo onde músicas para jogos raramente tinham alguma presença vocal, “One Winged Angel” surpreendeu ao colocar, mesmo que digitalizada, uma música de batalha final com uma verdadeira ópera onde é cantada uma música em Latim. O resultado disso foi uma música épica, que até os dias atuais é lembrada com muito saudosismo e esperança (por parte de alguns) de que algum dia venha a existir um remake do FF VII.

Extra: Não posso esquecer de mencionar duas outras grandes músicas desse jogo, são elas “Aeris’ Theme” e “J-E-N-O-V-A“, e suas respectivas versões orquestradas e em rock progressivo: “Aeris’ Theme” e “J-E-N-O-V-A“.

07 – Main Theme – Chrono Trigger

Aqui alguns irão entrar em colapso. Conheço uma legião de fãs de Chrono Trigger e sei que colocar o tema principal do jogo em sétimo lugar é motivo o suficiente para muitos ficarem revoltados. Mas vejam só, acompanhem a lista e verifiquem se vocês estão de acordo ou não, porém sabendo que essa lista não é regra de nada, é apenas uma lista subjetiva de alguém que apesar de ter jogado diversos JRPGs, não chegou a jogar nem a metade do que esperava jogar. Nem preciso dizer que o compositor do “Main Theme” de Chrono Trigger chama-se Yasunori Mitsuda, correto?

Motivo: Sabe aquela sensação que dá ao escutar uma música de que uma aventura grandiosa virá pela frente? Pois o tio Mitsuda acertou em cheio ao criar o “Main Theme” de Chrono Trigger, porque é exatamente como você se sente ao escutar essa música na apresentação do jogo. O crescendo nas notas iniciais faz com que se crie uma expectativa em torno do que está por vir, e ao ser recompensado com o/os final/finais do jogo, você percebe que aquela apresentação faz todo o sentido.

Extra: Chrono Trigger é um caso onde há inúmeras músicas memoráveis, e aconselho fortemente a vocês escutarem essas belezinhas dessas versões orquestradas das músicas “Frog’s Theme” e “Wind Scene“.

06 – Reach Out To The Truth – Shin Megame Tensei: Persona 4

Aqui temos uma grande surpresa, uma música tema que foge completamente dos padrões orquestrados e clássicos do resto das músicas que constam nessa lista, e talvez por isso e por essa música se encaixar tão bem com o clima de Persona 4, fez com que ela ficasse tão bem posicionada nesse TOP 15. A música em questão é a “Reach Out To The Truth“, composta por Shōji Meguro e cantada pela vocalista Shihoko Hirata.

Motivo: Como exposto acima, “Reach Out To The Truth” não é uma música orquestrada, tampouco clássica. Acredito que a categoria a qual a música melhor se encaixa é a que conhecemos como J-Rock, devido aos solos de guitarras, a presença de uma bateria bastante agitada e um teclado para completar o instrumental, e tudo isso com a competente vocalista Shihoko Hirata. O mais interessante dessa música é a letra que representa exatamente os conflitos internos dos personagens, afinal de contas o plot central de Persona 4 é justamente os conflitos internos de cada um dos personagens, abordando temas polêmicos como obsessão,inveja e até mesmo identidade sexual. Tudo isso dito, saber que “Reach Out To The Truth” é “apenas” a música tocada a cada batalha só afirma o seu valor.

05 – Scars of Time – Chrono Cross

Não precisa ser um gênio para perceber que esse que vos escreve é um fã irremediável do tio Yasunori Mitsuda. Também, com uma lista de trabalhos desse calibre, não há como não reconhecer a excelência da obra de Mitsuda. Em Chrono Cross não faltam músicas divinamente trabalhadas, chegando a ser bastante difícil escolher a melhor entre elas. Só depois de muito refletir sobre a vida, o universo e tudo mais melhor escolha, decidi que o quinto lugar dessa intrigante lista ficou com a linda “Scars of Time“.

Motivo: Não quero desmerecer as outras belíssimas melodias desse jogo, mas “Scars of Time” é uma música tão completa, tão bem arranjada, que é inegável o valor dela como melodia de abertura da sequência de um dos JRPGs mais aclamados até os dias de hoje (a saber, Chrono Trigger). Lembro que perdi(sic) as contas de quantas e quantas vezes fiquei na frente da TV só assistindo a estonteante apresentação de Chrono Cross por horas a fio, embasbacado com a qualidade da CGI, e principalmente com o clima envolvente que a música proporcionava, indo de calmaria a agitação em uma música que tem pouco mais de dois minutos e meio de duração.

Extra: Como não podia esquecer (e não podia mesmo), não deixem de escutar a bela e acalentadora música de encerramento chamada “Radical Dreamers ~ Unstolen Jewel ~“, cantada na encantadora voz de Noriko Mitose.

04 – Liberi Fatali – Final Fantasy VIII

Se por um lado Final Fantasy VII é um dos meus prediletos, a oitava versão da franquia não me cativou tanto quanto eu imaginava, mas em se tratando de trilha sonora, acredito que o tio Nobuo Uematsu se superou em vários sentidos como compositor, trazendo uma coletânea de músicas inquestionavelmente memoráveis. Assim como em Chrono Cross, ficou difícil escolher a detentora do título de quarta melhor música dos JRPGs de todos os tempos, mas pelo impacto que foi ver a abertura de FF VIII, e pela importância que essa canção tem no jogo, ela ganhou com uma considerável vantagem em cima das demais.

Motivo: Após o estrondoso sucesso do seu antecessor, FF VIII chegou com uma grande responsabilidade de dar continuidade ao excelente trabalho feito na sétima versão da saga. Devo dizer que no aspecto musical Uematsu superou todas as minhas expectativas ao criar uma das melhores trilhas sonoras que eu já ouvi para um FF. Se em FF VII tivemos uma orquestra “cantada”, em sua oitava versão fomos agraciados com uma introdução verdadeiramente orquestrada, cantada em ópera e mais sombria do que qualquer outra música da franquia jamais fora. Sombria, inclusive, é como uma boa parte da trilha sonora de Final Fantasy VIII pode ser caracterizada. Se você gostou ou não de FF VIII é irrelevante, o fato é que como música de introdução, o acerto de Uematsu foi infalível, nos apresentando a melhor música de abertura de um JRPG que já tive o prazer de escutar.

Extra: Antes que chorem por conta da minha escolha, deixo aqui a dica para ouvirem a música tema do jogo, “Eyes On Me“, cantada pela chinesa Faye Wong. Apesar de, na minha opinião, não superar a “Liberi Fatali“, essa música encerra o jogo com perfeição.

03 – Overture – Dragon Quests

Em terceiro lugar, não poderia deixar de citar a música que representa uma das melhores séries de JRPGs de todos os tempos, e a que mais se manteve fiel às suas raízes. Estou falando de Dragon Quest. Tão fiel às raízes, que precisou chegar em sua oitava versão para ver o seu primeiro jogo todo em 3D (o Dragon Quest VII é apenas parcialmente 3D). Já a parte sonora, que nos interessa, foi toda composta desde a sua primeira versão pelo mestre Koichi Sugiyama. A grande merecedora do prêmio de terceira melhor música dos JRPGs de todos os tempos ficou não com um jogo da franquia em específico, mas sim ao tema compartilhado entre todos os jogos da franquia até então: “Overture“.

Motivo: Para uma série que já está indo daqui há três anos para o seu trigésimo aniversário, não deve ser fácil se manter bem sucedida mantendo legado tantos elementos desde a sua criação, como por exemplo os efeitos sonoros. Obviamente que alguns elementos evoluíram, como gráficos, jogabilidade e qualidade musical passando dos MIDIs para músicas verdadeiramente orquestradas, mas é absurdo perceber que desde a sua concepção a série nunca mudou o seu música tema, apenas os seus arranjos, e o resultado você pode conferir logo abaixo, com um dos temas mais fodas da história dos videogames.

Curiosidade: Lembram do tempo que o compositor de Grandia demorou para compor a música tema do jogo? Pois saibam que ao ser convidado para compor as músicas do primeiro Dragon Quest, Koichi Sugiyama demorou apenas 5 minutos para criar a nossa querida e bem classificada no nosso ranking, “Overture“. Isso mesmo. Cinco míseros minutos. Ainda faço um Mestres da Indústria de Jogos sobre o tio Sugiyama.

02 – Dancing Mad – Final Fantasy VI

Se escolher a melhor música de Chrono Cross e Final Fantasy VIII foi difícil, o que dizer do melhor Final Fantasy já criado? Final Fantasy VI levou o chip sonoro do Super Nintendo ao seu limite, reproduzindo melodias que até hoje perpetuam nos teatros japoneses com apresentações em suas versões orquestradas. Decidir qual música desse excelente JRPG é a melhor não é das tarefas mais fáceis, porém, se temos que fazer, que seja com prudência. Após muito pensar e escutar as minhas prediletas, acabei optando por “Dancing Mad“, que acredito englobar o epicentro de todos os acontecimentos do jogo em uma só melodia.

Motivo: Pelo título da música facilmente identificamos a quem ela se refere, e caso você ainda não tenha ligado o nome a pessoa, deixe-me dar outra dica: Refere-se ao maior vilão que a franquia FF já teve. Eu só espero que quando eu fale o maior vilão, você não esteja pensando no apático Sephiroth, por que apesar dele ter lá o seu valor por protagonizar uma das cenas mais chocantes da história dos videogames (a saber, a morte da Aeris), nada se compara aos atos hediondos feitos pelo maldito, psicopata e completamente lunático, Kefka Palazzo. O motivo por “Dancing Mad” ter sido escolhida como a segunda melhor música dos JRPGs de todos os tempos, é simplesmente pelo fato dela traduzir toda a personalidade maníaca do vilão em um verdadeiro show de notas aparentemente descompassadas, que reunidas, fazem total e completo sentido. Tudo isso reunido em uma música de quase dezoito minutos, faz com que a derradeira batalha de Final Fantasy VI seja nada menos do que ÉPICA!

Extras: Agora para uma versão do melhor rock progressivo, deixo com vocês a versão da banda do tio Nobuo, The Black Mages: Dancing Mad. Além delas, escutem a “Aria di Mezzo Carattere“[¹][²] e a “Terra’s Theme“[¹][²], tantos as suas versões originais, quanto as suas orquestradas, hein?

01 – Small Two of Pieces – Xenogears

Finalizando essa lista de renomadas e gloriosas canções e melodias, escolhi sem nem pestanejar essa canção. Dessa vez não houve hesitação, não houve dificuldade. Foi fácil e conclusivo escolher “Small of Two Pieces” como a melhor canção de todos os tempos do subgênero JRPG. Mais uma vez a dupla Yasunori Mitsuda e Joanne Hogg fizeram toda a diferença na hora de entregar não apenas uma canção, mas algo que simplesmente não dá para ser descrito em palavras. Escutem e regozijem.

Motivo: Para os amantes de JRPG, Xenogears é muito mais do que um jogo, é na verdade um compêndio de vários fatores reunidos, que ao final lhe trazem uma experiência “gamística” inigualável. Sério. Não estou falando como um fanboy ensandecido. Xenogears é um dos poucos jogos do gênero onde você encontrará questões filosóficas e existenciais, uma jogabilidade viciante, personagens extremamente cativantes, além de tudo isso, uma trilha sonora impecável. Talvez o “calcanhar de Aquiles” em Xenogears sejam os seus gráficos, que envelheceram de forma vergonhosa e hoje deixa esse que vos fala com uma vontade absurda de ver esse jogo com gráficos da nova geração. Mas sem fugir (mais ainda) do tema, o motivo que me fez escolher “Small Two of Pieces” como a melhor música dos JRPGs de todos os tempos, foi pelo simples fato de no ápice dos derradeiros acontecimentos desse fenomenal JRPG, tocar essa música que conclui tudo de uma forma tão… tão… tão poética, que não há como não colocá-la em primeiro lugar. Portanto, apreciem sem moderação.

Extras: Eu até indicaria alguma música em específico, mas vou fazer melhor… Escutem toda essa playlist no Youtube do magnífico trabalho do tio Mitsuda, chamado CREID. De nada!

Considerações finais

Bem nerdalhada, não foi fácil terminar esse post que ultrapassou facilmente as 3000 palavras, mas é com muita honra que vos apresento a mais nova sessão semanal do Who’s Nerd?, o nosso querido Top 15.

  • Leonardo Freitas

    Excelente lista. Realmente “Dancing Mad” é uma obra prima, do melhor Final Fantasy. Do FFVI eu também gosto muito, além das citadas, da músicas “awakening” e do tema da Realm, que acho uma melodia bem bonita e confortante.
    Já o primeiro lugar não concordei muito, achei essa música do Xenogear até bonita, mas genérica demais. Talvez por eu não ter jogado ainda e não ter criado laços associando a música com o jogo.

    • A trilha sonora de Xenogears é um verdadeiro show de diversidade, amigo. Essa é só uma que representa o fim de toda a jornada que o jogo te proporciona. Mesmo assim, eu não chamaria de genérica essa música, é muito bem arranjada e com o tom certo para quem gosta de música celta. 😀