Valve pede 100 obamas para publicar sua “aposta” no Steam Greenlight


6 Flares Facebook 3 Twitter 2 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- 6 Flares ×

igor_queiroz_steam_greenlight.05.09

Há um ditado chinês de um filósofo desconhecido que diz: “A prerrogativa do ser humano é ser humano, né?“, e para lhe economizar horas e horas de reflexão, traduzo esse pensamento em um simplório: “Todo ser humano é fdp, com margem de erro de 1% para MAIS ou para menos” (estou no clima de eleições, sabe como é?). Isso se aplica a esse texto, pois prova que toda boa ideia pode ser desvirtuada por um bando de seres humanos que não caem nessa exceção de 1%. Como assim tio Igor? Calma kiddo, o tio Igor explica.

Acontece que após o lançamento do Steam Greenlight, aquele serviço liberado há poucos dias pela Valve aos desenvolvedores independentes que buscavam um lugar ao Sol na cobiçada biblioteca dos jogos do Steam, um grande número de idiotas achou interessante submeter ao serviço algumas “piadinhas” como Half-Life 3, Resident Evil 2 e Minecraft (sem contar os da imagem desse post), fazendo com que o serviço virasse um verdadeiro mosaico de  projetos ridículos e sem propósito algum senão o de fazer piada sem graça. Bem, com a nova política do serviço, nada impede de continuarem a submeter piadas sem graça, mas ao menos agora elas não serão de graça, pois para cada submissão no serviço da Valve,  será cobrado uma taxa “simbólica” de U$ 100 dólares, numa tentativa de barrar os engraçadinhos.

Como submeter um jogo ao serviço não é garantia de que o mesmo seja efetivamente adicionado ao Steam, esse valor passa a ser uma aposta de que o seu jogo irá ter sucesso, o que deve garantir que a qualidade dos jogos submetidos ao serviço sofra uma melhoria substancial. E para ninguém xingar muito a Valve no twitter de mercenária e empresa capitalista do mal e tudo mais, saibam que o valor adquirido será integralmente doado a instituição de caridade Child’s Play.

Esse que vos escreve sabe que bom senso é uma qualidade que poucos costumam praticar, e vê essa atitude da Valve como algo benéfico tanto par o serviço em si, quanto para a própria comunidade que não precisará paginar entre mil e uma porcarias até chegar a algum projeto interessante.

[via GamaSutra]