As Crônicas de Gelo e Fogo, um breve resumo dos livros (parte 2) 7


18 Flares Facebook 2 Twitter 15 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- 18 Flares ×

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 01Faz quase dois anos que escrevi o resumo do primeiro livro da saga As crônicas de Gelo e Fogo, Guerra dos Tronos, e eu sei que muita gente está desejando a continuação desses mesmos resumos, e como eu estou de bem com a vida, decidi que esse é o momento certo para trazer para vocês a tão esperada e épica continuação dos resumos da saga de livros criada pelo tio George R. R. Martin. Abaixo vocês acompanharão o resumo do segundo livro A Fúria dos Reis.

Livro 01 | Livro 02 | Livro 03 | Livro 04 | Livro 05 | Livro 06 | Livro 07

Ainda sobre A Guerra dos Tronos:

Um evento importante, que vale ser relembrado, é que a maegi Mirri Maz Duur sendo preparada para seu sacrifício, fala que a garota Targaryen não a ouvirá gritar, ao que a mesma responde que a ouvirá gritar sim, mas é a vida dela que ela deseja, pois “Só a morte pode pagar pela vida“, parafraseando as palavras da própria maegi, e é aí que, pela primeira e última vez, a maegi mostra a sua face desesperada.

Outro detalhe importante, que deixei escapar no post anterior, foi dizer que ao ressurgir das cinzas, Daenerys (Dany) Targaryen assumiu a liderança do khalasar, que apesar de quebrado e destituído da imensidão de seus mais de seus 40.000 guerreiros (agora menos de 100), ainda assim foi um fato histórico, já que os dothrakis não são conhecidos por se subjulgar a mulheres. Vale lembrar que antes dos Dragões nascerem, ela já havia tomado a postura de líder, mas não havia sido aceita como tal pelos seus irmãos de sangue. O nascer dos três dragões representa a aceitação do seu khalasar, e a certeza de que o mesmo agora é dela, como jamais havia sido de seu falecido esposo, Khal Drogo.

Por último, algo que pode passar batido para os mais desatentos (eu incluso), é a primeira menção ao cometa vermelho, notada pelo, agora nomeado, Sor Jorah Mormont, o primeiro da Guarda da Rainha.

As Crônicas de Gelo e Fogo: A Fúria dos Reis

Prólogo

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 02O cenário apresentado é a anteriormente demasiadamente comentada, Pedra do Dragão, local esse onde se encontra o irmão mais velho do falecido Robert Baratheon, Stannis Baratheon o Senhor de Pedra do Dragão.

Como todo capítulo dos livros de As Crônicas de Gelo e Fogo, o prefácio também é centralizado no ponto de vista de um personagem, o qual é chamado de Cressen. Cressen é o atual Meistre de Pedra do Dragão, e ajudou a criar os três filhos de Steffon Baratheon, Robert Baratheon, Stannis Baratheon e o mais novo, Renly Baratheon.

Logo no começo, o cometa vermelho junto à aparição do corvo branco, parece significar um mau presságio. O corvo branco chega da Cidadela trazendo a mensagem de que o Verão chegou ao seu fim, sendo considerado o Verão mais longo já registrado (10 anos, 2 turnos e 16 dias).

Meitre Cressen, aos seus 80 anos, está doente e debilitado, e por isso está assumindo os seus últimos dias como Meistre em Pedra do Dragão, função essa que agora será dada ao Meistre Pylos. Ainda assumindo a sua função, Cressen encontra-se preocupado com Stannis, que recentemente se auto intitulou o novo Rei dos Sete Reinos, sendo mais um a disputar um lugar no cobiçado trono de ferro. A preocupação de Cressen deve-se ao fato de que Stannis só possui como aliados os vassalos de Pedra do Dragão, posto que os Senhores da Tempestade já estão apoiando Renly Baratheon, o outro auto intitulado Rei dos Sete Reinos.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 03Além disso, a chegada da sacerdotisa vermelha, Melisandre de Ashai, junto ao seu Senhor da Luz, R’hllor, preocupa a paz de espírito do meistre, que tem fortes desconfianças sobre as boas intenções da sacerdotisa vermelha. A Rainha Selyse Florent é a primeira a assumir a fé do Deus Vermelho, abandonando por completo a sua antiga Fé dos Sete.

Com muita curiosidade, Shireen Baratheon, única filha de Stannis e Selyse, acompanhada do bobo Cara-Malhada, aparecem nos aposentos do meistre com a finalidade de conhecer o corvo branco. Shireen é uma criança que quase morreu quando muito nova de escamagris, uma doença que deixa a carne dura e morta, e a pele quebradiça, escamada ou acinzentada, parecendo pedra. Os efeitos da doença deixaram sequelas no lado esquerdo do queixo e pescoço dela. Mesmo descontando os efeitos da doença, Shireen é tida como uma criança “não muito bonita”, pois herdou o queixo quadrado do pai, e as orelhas de abano da mãe.

Logo Pylos avisa a Meistre Cressen que o Lorde Davos Seaworth retornou durante a noite, e que passou a maior parte do tempo com Stannis, e que agora estava em conselho. Cressen reclama por não ter sido avisado, já que é papel dele aconselhar o rei. Então ele segue em direção ao Tambor de Pedra para se encontrar com Stannis, quando no caminho se depara com Davos, que lhe informa que a sua missão como enviado às Terras da Tempestade foi um fracasso, e que os senhores juramentados a Ponta Tempestade não têm amores por Stannis. Para piorar mais a situação, os Senhores da Campina declararam apoio a Renly Baratheon e o seu reinado.

Cressen então parte para os aposentos de Stannis para tentar convencê-lo a formar uma aliança com seu irmão para guerrear contra a Casa Lannister. Stannis nega imediatamente. Cressen tenta então indicar o recém nomeado Rei no Norte, Robb Stark, como aliado, já que o mesmo reúne todas as forças de Winterfell e Correrrio. Stannis mais uma vez nega veementemente, acusando Robb de também ser um falso rei, e que o falso rei pretende roubar metade dos Sete Reinos. Em uma última tentativa, Cressen sugere um casamento entre Shireen e Robert Arryn, filho enfermo do falecido Jon Arryn (ex – Mão do Rei) e de Lysa Tully, a princípio Stannis repudia a possibilidade de trazer o garoto doente para Pedra do Dragão, mas quando Cressen sugere que Shireen seja enviada para o Ninho da Águia, Stannis concorda que vale a tentativa.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 04Aí entra a Rainha Selyse e começa um discurso inflamado de que Stannis não precisa mendigar ajuda de ninguém, nem de viúvas e nem de usurpadores, já que ele é o verdadeiro rei, todos devem aliança a ele. Stannis por sua vez diz que precisa de espadas, e pergunta a sua rainha se ela tem um exército. A Rainha Selyse afirma que a Casa Florent pode fornecer um exército, ao que Stannis fala que seria apenas um exército de 2000 homens e que ele não tem tanta confiança na Casa Florent quanto a sua rainha, já que a mesma fica muito próxima à Jardim de Cima, domínio de Mace Tyrell e dos Senhores da Campina. E é então que a rainha começa a mostrar a sua nova fé, falando que o Senhor da Luz providenciará a ajuda necessária para a conquista de Stannis. Ele, por outro lado, não compartilha da nova fé, e pergunta quantos homens o Deus Vermelho irá fornecer a ele. Selyse afirma que tanto Ponta Tempestade quanto Jardim de Cima irão apoiar a sua causa.

Quando Stannis lembra a rainha de que todos esses homens estão apoiando Renly, a rainha confirma, mas diz que se Renly morresse, todos esses homens passariam para o lado de Stannis. Ela continua falando que a sacerdotisa vermelha viu nas chamas a morte de Renly. Cressen fica horrorizado e fala que fratricídio é um ato do mal. Stannis fala a Cressen que já ouviu os conselhos dele, e que agora quer ouvir o que Selyse tem a dizer, pedindo então que Cressen se retire.

Cressen percebe que esse comportamento da rainha é culpa da sacerdotisa vermelha, Melisandre de Ashai, e que precisa silenciá-la para que essa loucura não continue e nem que Stannis seja tragado para essa fé. Cressen, já em seus aposentos, resolve pegar na sala de trabalho um veneno conhecido na Cidadela como “o estrangulador”, e que com ele dará um fim a vida de Melisandre no banquete que aconteceria no dia seguinte.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 05No dia seguinte, Cressen acorda e percebe que não foi chamado para o banquete. Mesmo assim o velho Meistre segue em direção ao Grande Salão, e ao adentrar, acaba se esbarrando no Cara-Malhada e os dois caem no chão, e, sem perceber de imediato, é ajudado pela sacerdotisa vermelha, que brinca com o Meistre dizendo para ter cuidado por onde anda, citando uma prece de sua religião: “Pois a noite é escura e cheia de terrores”, ao que o velho Meistre responde, “Apenas crianças temem a escuridão”. Nesse meio tempo o Cara-Malhada canta uma de suas canções desconexas: “As sombras vem dançar, senhor, dançar, senhor, dançar, senhor”, e então Melisandre completa: “Eis um mistério, Um bobo esperto e um sábio tolo”.

Ela então apanha no chão o elmo de Cara-Malhada e o coloca na cabeça do meistre, e fala que é uma coroa para combinar com a sua corrente (sempre zombeteira, em relação a Fé dos Sete), pondo a rir todos que estão no Grande Salão. Meistre Cressen, tirando o elmo da cabeça, diz não precisar de nenhuma coroa além da verdade, e ela (a sacerdotisa) fala que há verdades nesse mundo além das ensinadas em Vilavelha. Posteriormente Meistre Cressen percebe que Meistre Pylos já estava sentado no lugar que outrora lhe pertencera, e isso o deixa um pouco desconfortável. Mais desconfortável ainda foi receber as palavras do próprio Rei Stannis, o qual ele sempre teve todo carinho e amor, de que os seus serviços não eram mais necessários, e que Pylos agora ficaria encarregado de aconselhá-lo. Mesmo assim, Cressen pediu para ter ao menos um lugar na mesa, e foi aí que Sor Davos Seaworth oferece um lugar ao seu lado.

Depois de mais algumas tentativas falhas de aconselhar Stannis a se aliar com os Stark e a Senhora Lysa Arryn, Cressen percebe que os seus conselhos não alcançam mais a razão de Stannis, e então procura desesperadamente uma forma de acabar de vez com a sacerdotisa vermelha. Em determinado momento ele acha uma brecha e põe “o estrangulador” na taça de Davos e oferece um brinde ao Deus Vermelho da sacerdotisa, e mesmo após Melisandre dizer que ainda há tempo para jogar o vinho fora, Cressen insiste que bebam o vinho, ao que a mulher vermelha bebe a grande parte do vinho, e deixa apenas um pouco para que o velho meistre beba. Nesse ponto já não havia mais volta, e o meistre bebe o vinho superando o próprio medo, ao que a sacerdotisa fala que ali o Deus dela tem poder, o amuleto rubro da sacerdotisa brilha e o velho Meistre Cressen cai, e morre.

Obs 1: Fiz questão de detalhar bastante o prólogo, pois para os que apenas assistiram a série televisiva, muitas coisas ditas aqui simplesmente não existiram na segunda temporada de Game of Thrones. Tentarei ser mais sucinto no decorrer do resumo (apesar de achar difícil).

Obs 2: Separarei o resumo através das histórias de cada personagem central. Se porventura as histórias de alguns deles se cruzarem, e for necessário, eu farei pequenas separações.

Arya Stark

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 06Depois dos acontecimentos de A Guerra dos Tronos, Arya Stark parte em uma jornada rumo A Muralha junto a Yoren da Patrulha da Noite, Gendry (filho bastardo de Robert Baratheon) e outros aspirantes a irmãos da Patrulha da Noite. Dentre esses, Lommy Mãos-Verdes e Torta Quente. Arya aqui está disfarçada como um garoto chamado Arry. No caminho para A Muralha Yoren fala a Arya que o que aconteceu com Ned Stark não estava previsto, que o combinado era levá-lo para A Muralha para que ele vestisse o negro.

Além dos supracitados aspirantes a Patrulheiros da Noite, há também aqueles que foram sentenciados a vestir o negro, e dentre esses, três foras da lei se destacam por estarem sendo levados acorrentados em uma carroça sendo eles: Jaqen H’ghar, Rorge e Dentadas.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 07Em determinado ponto o grupo chega até a costa do Olho de Deus, em uma vila abandonada, onde acabam estacionando. Na calada da noite um grupo de soldados juramentados a Tywin Lannister, liderados pelo Sor Amory Lorch, aparece exigindo que abram as portas. Yoren se nega a abri-las afirmando que eles são da Patrulha da Noite (A Patrulha da Noite não toma lados na guerra dos tronos) e mostra a sua Capa Negra, porém Amory Lorch fala que eles podem muito bem ser da Casa Dondarrion. Yoren continua a se negar até uma lança acertar a garganta de um dos aspirantes a Patrulheiro da Noite. Então se inicia uma batalha, a qual Yoren percebe que é uma batalha perdida e comanda Gendry, Arya e os demais que se refugiem numa entrada secreta que eles encontraram em um celeiro. Antes de fugir, no entanto, Arya joga um machado para os 3 prisioneiros que estavam na carroça.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 08Depois da fuga, na próxima vila que encontram, Arya e os demais são capturados pela Montanha que Cavalga, Gregor Clegane (irmão de Sandor Clegane, o Cão de Caça). É nesse ponto do livro que Arya perde a sua espada Agulha. É nesse momento também que Lommy Mãos-Verdes morre tendo a sua garganta trespassada por uma espada.

A Montanha e os demais vassalos da Casa Lannister estão a procura de Beric Dondarrion, e para isso andam interrogando todos os capturados. Para obter essas informações, um torturador chamado Cócegas faz o trabalho sujo. Depois de oito dias de interrogatório, os remanescentes partem para o castelo de Harrenhal, para servir Tywin Lannister. No caminho para o castelo, Arya vê um homem careca chamado Polliver que está carregando a sua espada, Agulha, e se sente grata por terem tirado a sua espada, pois com ela a jovem Stark teria usado para perfurar a Montanha e provavelmente após o ato teria sido morta pelos seus subalternos.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 09É importante lembrar que nesse momento da história, Arya dá início a famigerada “Lista Negra“, onde todos os dias antes de dormir ela cita os nomes daqueles que ela quer ver mortos, como Cersei Lannister, Joffrey Baratheon, dentre outros.

Finalmente eles chegam a Harrenhall, onde Arya é designada a ficar com o Weese na Torre dos Gemidos. Vários dias depois chegam ao Castelo de Harrenhal os Saltimbancos Sangrentos, também conhecidos como Bravos Companheiros, liderados por um homem de aparência desagradável chamado Vargo Hoat. Algum tempo depois chegam também ao castelo Sor Amory Lorch, junto com Jaqen H’ghar, Rorge e Dentadas. Não demora muito até que Jaqen entre em contato com Arya, agradecendo pelas três vidas salvas, e assim oferecendo a elas três mortes em troca, bastando apenas que ela lhe dê os nomes.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 10Primeiramente Arya é relutante em dar os nomes a Jaqen H’ghar, mas após ouvir uma conversa sobre violência e um estupro coletivo em uma estalagem, Arya sussurra no ouvido de Jaqen o nome Chiswyck, que três dias depois é encontrado morto. O segundo nome a ser anunciado é o Weese, que morre sendo atacado pelo seu próprio cachorro. Na hora de dar o terceiro nome, Arya decide dar o nome do próprio Jaqen, que por sua vez pede que a garota reconsidere o pedido, e então eles negociam livrar os nortenhos que estão presos no castelo, e para isso Jaqen, Rorge e Dentadas, com ajuda da própria Arya, invadem as celas de Harrenhal e assassinam oito carcereiros libertando assim os nortenhos.

Após cumprir a sua parte do acordo, Jaqen modifica não apenas seu rosto, mas também sua conduta, dizendo a Arya que já era tempo daquele homem morrer, e em seguida dá uma moeda de aço para ela, e diz que se um dia ela quiser o reencontrar, que não esqueça das palavras: Valar Morghulis.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 11Na manhã seguinte Roose Bolton, nortenho e vassalo da casa Stark, assume o controle do castelo. Arya que até então era conhecida em Harrenhal como Doninha, passa a se chamar Nymeria ou a forma contraída, Nan e assume o cargo de copeira por ter salvo os prisioneiros. Não demora muito e Roose Bolton deixa o castelo, dando a Vargo Hoat a liderança do mesmo. Temendo pela própria vida e dos seus amigos, Arya, depois de assassinar um soldado, consegue finalmente escapar do castelo junto a Torta Quente e Gendry.

Sansa Stark

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 12Sansa agora é refém dos Lannisters e do rei-menino Joffrey Baratheon em Porto Real no castelo Fortaleza Vermelha. A personagem boba e ingênua do primeiro livro, sofre as consequências de sua própria ingenuidade em A Fúria dos Reis, e, não raramente, Sansa é vítima de bofetadas e humilhações públicas, também contrastando toda a atenção que recebera no livro anterior. Tudo isso devido a uma traição que seu pai não cometeu, mas que mesmo assim culminou nessa maré de sofrimento.

Todos os maus-tratos físicos são dados pelos cavaleiros da Guarda Real a mando do rei, que por sua vez é o responsável pelas constantes agressões verbais e terrores psicológicos. Dentre os cavaleiros da Guarda Real, o único que parece não ser realmente a favor dos espancamentos é o Cão de Caça, o agora recém nomeado cavaleiro da Guarda Real, Sor Sandor Clegane, apesar de que outro cavaleiro que parece detestar esses maus-tratos é o Arys Oakheart.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 13Nas justas em comemoração ao dia do nome de Joffrey (ou do seu aniversário, para os menos familiarizados), um evento inesperado ocorre quando o cavaleiro Sor Dontos Hollard aparece completamente embriagado e seminu, mal conseguindo montar em seu cavalo. Diante dessa cena, Joffrey decide que o mesmo deve ser morto, mas de súbito Sansa Stark, sem pensar, contraria as ordens do menino-rei, e percebendo a bobagem que fez, tenta consertar a história com uma mentira convincente que é apoiada pelo próprio Cão de Caça, fazendo assim com que em vez da morte, Sor Dontos Hollard perca o título de cavaleiro e passe a ser um Bobo da Corte.

Ainda em meio ao evento, Tyrion Lannister surge na Fortaleza Vermelha acompanhado do seu exército nada ortodoxo, composto por homens da Casa Lannister, mas também pelo seu “fiel” mercenário Bronn e os guerreiros dos clãs da montanha. Apesar de ser um Lannister, Tyrion soa a Sansa com um ar diferente, quase gentil, mas a essa altura a menina já se encontra determinada a nunca mais acreditar em nenhum Lannister, pois foi o que fizera com Cersei, e hoje o seu pai se encontra morto e ela em cativeiro.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 14Num evento que ficou conhecido como o Tumulto de Porto Real, Sansa acaba sendo salva pelo Cão de Caça, que a tira de um verdadeiro massacre feito pelo próprio povo faminto e estado de calamidade e revolta. Posteriormente é descoberto que um cavaleiro da Guarda Real foi assassinado, assim como o próprio Alto Septão. Lollys Stokeworth também é estuprada no tumulto, e Tyrek Lannister é dado como desaparecido para nunca mais ser encontrado (ao menos até então).

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 15Em uma noite Sansa é surpreendida por um bilhete pedindo que ela apareça a noite no Bosque Sagrado se ela quiser voltar para Winterfell. Ao chegar até o Bosque Sagrado, Sansa acaba descobrindo que o bilhete veio de Sor Dontos Hollard, aquele que ela salvara há um tempo atrás no aniversário de Joffrey Baratheon. Mesmo Sor Dontos não parecendo exatamente com a visão de um cavaleiro galante, Sansa deposita uma grande confiança na promessa de que ela um dia possa voltar à Winterfell, e desde então passa a fazer visitar regulares ao Bosque Sagrado.

É cada vez mais próxima a chegada da investida de Stannis Baratheon, irmão de Robert e pretendente ao Trono de Ferro, e é nesse período que Sansa deixa para trás de uma vez por todas sua situação de menina e passa a ser uma moça, pois tem a sua primeira menstruação. Durante a Batalha da Água Negra, Sansa se encontra com Cersei e outras senhoras do Grande Septo de Baelor, onde presencia a tradução do terror de uma mãe temerosa pela morte do seu filho, ao ver Cersei embriagada e descontrolada. Após a batalha, Sandor Clegane faz uma visita inesperada aos aposentos de Sansa, que percebe que o mesmo está completamente embriagado e assustado. Sandor convida Sansa a fugir de Porto Real, mas a mesma não confia nele, e acaba sendo forçada a cantar uma canção sob a ameaça de uma faca.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 16Após a vitória da Casa Lannister com o apoio da Casa Tyrell, o casamento entre Sansa e Joffrey é cancelado, e no mesmo momento é definido que Joffrey casará com Margaery Tyrell, irmã de Sor Loras Tyrell e filha de Lorde Mace Tyrell, o Senhor de Jardim de Cima. Porém, isso não desencoraja Joffrey a afirmar que ele a terá na cama assim mesmo, já que como rei ele pode ter na cama quem bem entender. Sansa continua prisioneira dos Lannister em Porto Real, mas Sor Dontos continua afirmando que a levará para casa logo depois do casamento do rei Joffrey, dando a ela um presente; uma ametista púrpura.

Tyrion Lannister

O maior destaque de A Fúria dos Reis vai mesmo para o anão da Casa Lannister. Para vocês terem uma ideia, ele encabeça nada mais, nada menos do que quinze capítulos desse livro, enquanto a segunda pessoa a ter mais capítulos próprios é a Arya Stark. Bem, vamos ao resumo dos capítulos dele, não é mesmo?

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 17E finalmente Tyrion Lannister chega a Porto Real para assumir a posição de Mão do Rei, contrariando (obviamente), a rainha regente e sua irmã, Cersei Lannister. Tyrion não chega só, já que o mesmo está acompanhado dos guerreiros dos Clãs das Montanhas e da acompanhante de acampamento, Shae, além do seu fiel(?!?) Mercenário Bronn. Vale lembrar que Tyrion assume o cargo de Mão do Rei honorário através de uma carta enviado por Tywin Lannister. Mesmo relutante, a Cersei acaba “aceitando” a ajuda do anão, que por sua vez tem como primeira ação a ordem da retirada da cabeça de Ned Stark dos muros da Fortaleza Vermelha.

Outra medida tomada pelo “pequeno” Lannister é a de enviar o Manto Dourado, Janos Slynt para a Muralha junto com alguns dos seus, enquanto o substitui pelo Sor Jacelyn Bywater para comandar a Patrulha da Cidade. Para saber quem são os informantes da sua irmã, Tyrion bola um plano de dizer para cada membro do pequeno conselho uma história diferente sobre seus planos para a Myrcella e Tommen Baratheon (filhos do finado Robert Baratheon com a Cersei Lannister; quer dizer…), e esse plano acaba apontando o Grande Meistre Pycelle como o tal informante. Na verdade os planos de Tyrion são os de enviar a princesa Myrcella para Dorne e noivá-la com o príncipe Trystanne Martell, e assim garantir uma aliança com o povo dornês, além de garantir um assento no pequeno conselho ao príncipe Doran Martell, e entregar o homem responsável pela morte da irmã de Doran, Elia Martell. No final das contas, após ter grande parte da sua longa barba arrancada pelo Shagga dos Corvos de Pedra, o Meistre Pycelle é enviado para as celas negras, que ficam abaixo da Fortaleza Vermelha.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 18Agora com mais controle da situação, Tyrion começa seus planos para proteger a cidade do cerco de Stannis Baratheon, ordenando a construção de barcos de pesca e abre a Mata de Rei para a caça, além de enviar os Mantos Dourados para a forragem, ainda assim não sendo o suficiente para alimentar a superpopulosa cidade de Porto Real. Ele também ordena aos ferreiros que construam uma corrente enorme que irá servir para uma estratégia de guerra, e além disso exige da Guilda dos Alquimistas a maior quantidade de Fogo Vivo possível. Eventualmente ele envia os guerreiros dos Clãs das Montanhas para a Mata de Rei para acabar com os batedores e os espiões leais ao Stannis Baratheon.

Mesmo tentando esconder a Shae em uma casa afastada da Fortaleza Vermelha, Tyrion acabou tendo o paradeiro (e a existência) da sua “concubina” descoberta pelo Mestre dos Segredos, ou Lorde Varys para os não íntimos. Porém, Varys se mostra um aliado do anão, ao ajudá-lo a se encontrar com a Shae com mais discrição. Eventualmente, por conta do cerco de Porto Real, Tyrion dá um jeito de colocar Shae na Fortaleza Vermelha como aia da rechonchuda Lollys Stokeworth.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 19O primo de Tyrion, Cleos Frey, chega a Porto Real com uma carta assinada pelo próprio Robb Stark, o Rei no Norte, onde o mesmo pede a soltura de Sansa e Arya Stark em troca de todos os capturados, sem contar com o Jaime Lannister, e também exige que o Rei Joffrey renuncie todos os direitos ao território do Norte e as Terras Fluviais. Tyrion considera a proposta um absurdo, e envia através de Cleos Frey uma contraproposta, onde promete soltar Sansa e Arya Stark, assim como alguns vassalos da casa Stark em troca da lealdade de Robb Stark e da libertação de Jaime Lannister, além disso Tyrion arquiteta um plano de fuga para Jaime com os integrantes do grupo de Cleos Frey.

Sor Alisser Thorne, da Patrulha da Noite, também visita a Mão do Rei, e traz consigo uma mão de uma Criatura (alguém transformado em Morto-vivo por um Outro) que acabou apodrecendo antes que ele pudesse apresentá-la, e apesar de ser recebido com zombaria da corte e do próprio Tyrion por conta disso, ele acaba conseguindo mais recrutas para a Patrulha da Noite através das celas da cidade.

Após a morte de Renly Baratheon, o anão busca uma aliança com os Tyrells. Ele envia o Mindinho (Petyr Baelish) para tratar com os Tyrells e oferecer um casamento de Joffrey Baratheon com Margaery Tyrell. Nesse momento Tyrion e Cersei estão no ápice de uma guerra travada entre eles mesmos, onde o anão continua frustrando os planos da irmã, chegando inclusive a drogá-la fazendo com que assim perca uma reunião com o Pequeno Conselho. Cersei por sua vez, acreditando que a prostituta Alayaya do Bordel de Chataya, é a concubina de Tyrion, a prende e manda espancá-la, e a rainha regente exige a custódia do seu filho Tommen em troca da liberdade da meretriz. Tyrion se enfurece, e promete a sua irmã que ele irá tirar dela tudo o que ela mais ama.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 20E eis que chega o grande momento do segundo livro A Fúria dos Reis, que fica sendo eventualmente conhecido como a Batalha da Água Negra. É aqui que o plano de Tyrion é posto em ação, e a grande corrente forjada pelos ferreiros é usada para prender tanto os navios de Stannis, quanto os próprios navios das forças de Joffrey Baratheon que estão na Baía da Água Negra, e então são lançados os frascos de Fogo Vivo, que foram produzidos também a mando do anão, nos navios inimigos. Apesar do poder destrutivo devastador, algumas tropas de Stannis conseguem ancorar na costa e avançar em direção ao Portão do Rei, e como Sandor Clegane surtou ao ver fogo por toda a parte, acabou sobrando para o pobre anão a árdua tarefa de defender o reinado. Ao avançar na vanguarda (RESPECT!), Tyrion acaba se deparando com Mandon Moore da Guarda Real, que acaba tentando assassiná-lo, e na tentativa consegue arrancar o nariz do pobre pequeno Lannister. Porém, na hora certa, Tyrion Lannister é salvo pelo seu fiel escudeiro, Podrick Payne.

Logo após ver, mesmo que de forma turva, o seu salvador no seu momento de glória, Tyrion acaba desmaiando. Ele então acordo somente após a batalha, com fortes dores devido aos ferimentos e a perda quase total do seu nariz, e com uma forte suspeita que sua querida irmã está por trás dessa tentativa de assassinato.

Bran Stark

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 21Com o seu irmão mais velho assumindo a posição de Rei no Norte na Guerra dos Cinco Reis, Bran se torna o Príncipe de Winterfell na sua ausência. Winterfell recebe alguns visitantes, como Grande e Pequeno Walder Frey, e por conta desses dois, tanto Verão quanto Cão Felpudo ficam presos no Bosque Sagrado, após o Cão Felpudo morder a mão do Pequeno Walder. Mesmo sem saber, é aqui que o pequeno Bran começa a experimentar os seus poderes de Warg (ou troca-peles), quando em seus “sonhos” vívidos, se imagina na pele de Verão no Bosque Sagrado.

Dias se passam, e é chegada a Festa da Colheita, e com ela novos convidados chegam, como por exemplo o Lorde Wyman Manderly de Porto Branco e a Senhora Donella Hornwood, que perdeu seu marido e seu filho para a guerra no sul. Dado o fato de que agora a Senhora Donella está viúva, vários pretendentes a futuro marido surgem, apesar da mesma não estar mais em condições de gerar herdeiros, e tampouco está propensa a aceitar qualquer um dos seus pretendentes, incluindo o próprio Lorde Wyman Manderly, no entanto ela deixa subentendido que caso seja de interesse do Rei no Norte, Robb Stark, ela se casaria com alguém da indicação dele, sugerindo inclusive o Castelão de Winterfell, Sor Rodrik Cassel como uma opção a ser considerada.

De toda forma, surge uma preocupação com o bastardo de Lorde Roose Bolton, o jovem Ramsay Snow, que segundo a própria Senhora Hornwood, está reunindo homens no Forte do Pavor sem dizer quais são seus interesses para tal ação. Bem, papo vai, papo vem, uma Osha (aquela selvagem que acabou sendo feita de refém aia em Winterfell) tomando banho pelada, nua e com a mão no bolso, no Bosque Sagrado ali, ou o Meistre Luwin sempre tentando aconselhar o pequeno Bran acolá, e finalmente Bran tem um sonho com um homem dourado, dizendo uma frase conhecida de nós que temos boa memória: “As coisas que eu faço por amor…“.

Dando continuidade a Festa da Colheita, novos visitantes chegam a Winterfell, e dentre eles estão Jojen e Meera Reed, representando o pai deles Howland Reed, um fiel vassalo da Casa Stark, e nobre da Casa Reed da Atalaia da Água Cinzenta. Em um dos seus “sonhos” vívidos, Bran se depara com os dois no Bosque Sagrado conversando em cochichos sobre os Lobos Gigantes Verão e Cão Felpudo, até o momento que o Jojen toca em Verão e o Bran então sai do seu sonho.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 22Terminado a Festa da Colheita, é chegado a notícia de que a viúva Hornwood foi forçadamente feita esposa do Bastardo de Bolton, Ramsay Snow, e o Lorde Manderly ocupou o castelo dela para protegê-lo, e o Castelão de Winterfell, Sor Rodrik Cassel foi para o Leste para fazer justiça e controlar a rebelião. Meera e Jojen Reed conversam com Bran no Bosque Sagrado, e Meera revela a Bran que Jojen possui a “visão verde“, que é uma espécie de previsão através dos sonhos.

Nesse ponto é impossível não traçar semelhanças entre Bran e os Jedis de Star Wars. É sério.

Jojen explica sobre o Corvo de Três Olhos, e que eles devem ir não em direção a Atalaia da Água Cinzenta, mas para o norte, para lá da Muralha. A princípio Bran não dá muita credibilidade para essa história, mas a possibilidade de voar lhe tomou atenção o suficiente para vislumbrar sobre um futuro além da sua realidade atual, que é a de um ser quebrado e aleijado.

 É nesse momento do livro, apesar de ainda aparentemente não ser, que toda a sorte de desgraça acontece em Winterfell. Chegaremos lá.

Com a chegada das novidades a respeito dos sucessos das investidas de Robb Stark, Bran começa a acreditar nas previsões de Jojen e na tal “visão verde“. Em uma conversa com os irmãos Reed, Bran descobre que Jojen teve um “sonho verde” onde Winterfell era invadida por águas do mar, e que homens de Winterfell estavam afogados no pátio do Castelo da Casa Stark. Jojen diz a Bran que reconheceu alguns dos homens afogados ao chegar em Winterfell. Apesar de achar a ideia absurda, já que Winterfell fica há léguas de distância de qualquer mar, Bran pensa em avisar as pessoas da visão de Jojen, ao passo que o mesmo avisa que não adiantaria, pois ninguém acreditaria nele.

Sor Rodrik Cassel chega a Winterfell com um prisioneiro chamado Fedor, que era servo do bastardo Ramsay Snow, que foi morto na investida do Castelão de Winterfell. Tanto o bastardo quanto o Fedor assassinaram a Senhora Hornwood, forçando-a antes a se casar com o Snow e assinar um testamento passando tudo para ele. No momento a Casa Manderly e a Casa Bolton estão se enfrentando na Floresta de Hornwood. Jojen então fala a Bran que teve um novo sonho verde, e esse mostrava tanto Bran quanto Rickon tendo as suas faces esfoladas por uma longa lâmina vermelha pelo Fedor, que acabara de chegar capturado em Winterfell. Meera tenta convencer seu irmão de que eles podem mudar o futuro, e o mesmo é enfático ao dizer que o que ele vê, sempre se torna verdade. Os sonhos verdes não mentem.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 23Em mais um sonho vívido na pele do Lobo Gigante Verão, “Bran” e o seu irmão Cão Felpudo sentem um cheiro estranho no ar, então tenta escapar do Bosque Sagrado mas o portão está trancado, e então tenta escalar uma árvore seguindo os pensamentos de Bran, mas acaba caindo e fazendo com que Bran saia de sua pele seu sonho. Ao acordar, Bran se depara com Theon Greyjoy em seu quarto, junto a um homem estranho. Theon, que agora está se chamando de príncipe, exige de Bran que o mesmo comunique a todos de Winterfell que agora é ele que está no comando, e que nada acontecerá a eles se eles cooperarem.

Bran vê todos aqueles que Jojen viu em seu sonho verde perecerem, e vê inclusive o ferreiro Mikken, que não aceitou se ajoelhar perante o jovem traidor, ter sua garganta trespassada pela lança de Stygg, outro Nascido do Ferro, e afogar-se no próprio sangue. Theon também acaba soltando o prisioneiro Fedor, que acaba se unindo as forças dos homens de ferro, assim como Osha, a selvagem, que acaba desapontando Bran pela sua suposta traição.

Jon Snow

 Após os acontecimentos do primeiro livro, Jon Snow não sabia nada, mas por enquanto ninguém tinha deixado tão claro pra ele.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 25Dando continuidade aos eventos do livro anterior, Jon Snow agora prepara-se para seguir em busca dos Patrulheiros que ainda estão desaparecidos para lá do Norte da Muralha, incluindo o seu tio Benjen Stark. No atual momento Jon está conversando com Samwell Tarly na biblioteca do Castelo Negro, enquanto o mesmo se ocupa com os livros, pergaminhos e mapas da biblioteca. Sam está, a mando do Senhor Comandante Mormont, em busca de mapas para ajudar os patrulheiros na Grande Patrulha que está por vir. Jon tenta acalmá-lo dizendo que o Comandante Mormont recrutou 200 homens para essa missão, e que esses se encontrarão com mais 100 da Torre Sombria que estão sob o comando do Patrulheiro da Noite, Qhorin Meia-Mão, e também diz que Sam estará tão seguro quanto quando estava em Monte Chifre. Sam, por sua vez, responde que nem mesmo lá ele estava tão seguro assim.

Posteriormente Jon e Sam se dirigem aos aposentos de Jeor Mormont, e lá Mormont tem uma longa conversa com Jon a respeito de reis dragões, os reis atuais, o próprio irmão de Jon que se auto intitulou Rei no Norte, e até mesmo do Meistre Aemon, que um dia pôde ser rei dos Sete Reinos, mas abdicou desse cobiçado cargo.

Agora, a Patrulha já na Floresta Assombrada, para lá da Muralha, encontra-se na aldeia de Brancarbor, uma aldeia selvagem que agora está plenamente desocupada. Lá no centro da aldeia é possível ver uma enorme Árvore-Coração. Brancarbor já é o quarto vilarejo que eles visitam, e em todos eles não encontrou nada além do mais puro vazio. Após receber a notícia de que há um lago ao norte da vila, o Senhor Comandante Mormont decide que é para lá que eles vão acampar, e decidido isso ele escreve uma carta para o Meistre Aemon e pede a Jon Snow que leve até Sam para que ele envie um corvo para o Castelo Negro. Ao chegar até o patrulheiro roliço, Jon indaga se o mesmo ainda está com medo, ao que o Sam responde que não tanto quanto antes, já que antes ele não conseguia dormir pensando que a qualquer momento ele poderia ser atacado por um selvagem, mas que agora, sabendo que eles desapareceram, ele está mais tranquilo. Jon pensa consigo mesmo: 200 bravos homens saíram da Muralha e apenas Sam, o auto proclamado covarde, é o único que está com menos medo.

Finalmente a Patrulha da Noite chega a Fortaleza de Craster, que graça aos deuses estava habitada. Até o momento eles já haviam passado por sete vilas sem encontrar um selvagem para chamar de seu contar história, e se deparar com um lugar amigo da Patrulha da Noite, mesmo com a fama peculiar do seu anfitrião, foi confortante… de certa forma. Seja como for, o Senhor Comandante manda Jon espalhar a todos os patrulheiros que não mexam e nem falem com as mulheres de Craster.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 26Daí surgem vários “rumores” a respeito de Craster, de que ele é filho de uma selvagem com um patrulheiro, que ele é um fratricida, mentiroso, estuprador e covarde, dentre outras coisas, como por exemplo que ele se casa com suas próprias filhas. Bem, descoberto que os rumores não são tão rumores assim, chega a hora de Jon Snow adentrar ao salão da Fortaleza de Craster e escutar pela primeira vez o nome do Rei-para-lá-da-Muralha, Mance Rayder. O nome do ex patrulheiro e vira-casaca é citado através de uma pergunta do patrulheiro Jarmen Buckwell, que pergunta a Craster sobre o rei dele, ao passo que Craster responde que o povo livre não precisa de reis.

Em dado momento, Snow conhece Goiva (Gilly no original), que é uma das filhas de Craster e também esposa do mesmo. A garota, de apenas 15 anos, já está grávida e busca ajuda de Jon para ir para a Muralha, pois ela alega que se o filho dela for homem, o velho Craster irá oferecê-lo aos Deuses Gelados. Jon diz a Goiva que não cabe a ele essa decisão, e eles estão indo em direção contrária a Muralha.

Agora de saída da hospitalidade da Fortaleza de Craster, o Senhor Comandante Mormont avisa a Jon que em sua conversa com Craster, ele descobriu que o Rei-para-lá-da-Muralha está reunindo forças nas Presas de Gelo, e se eles não quiserem que os selvagens invadam o reino, é melhor que eles o detenham antes disso.

Finalmente a Patrulha da Noite chega ao Punho dos Primeiros Homens. O objetivo agora é esperar a chegada dos homens da Torre Sombria, e também esperar que o Mance Rayder retorne das Presas de Gelo. Eventualmente, o Fantasma, o Lobo Gigante de Jon Snow, o leva para um local onde ele achou um manto de um Patrulheiro soterrado na neve, onde dentro dele existiam armas de Vidro de Dragão.

Ainda no Punho dos Primeiros Homens, Jon escuta um berrante de guerra sinalizando a chegada de Patrulheiros que vinham da Torre Sombria liderados pelo Qhorin Meia-Mão. Junto com seus 100 homens, Qhorin chega com notícias sobre o Rei-para-lá-da-Muralha, que segundo o Patrulheiro, Mance Rayder possui wargs e Mamutes em seu exército, e que o mesmo está procurando por algum poder ou artefato para atravessar a Muralha não precisando escalar ou atravessar por baixo. Qhorin sugere que o Velho Urso (O Senhor Lorde Comandante), envie alguns olheiros para as montanhas e assim que a sugestão é aceita, o mesmo seleciona entre um dos tais olheiros o próprio Jon Snow.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 27No caminho para as Presas de Gelo, no Passo dos Guinchos, o pequeno grupo liderado por Qhorin encontra alguns selvagens fazendo vigília em um ponto alto do Passo. Jon e Cobra das Pedras se encarregam de abater o grupo de três selvagens que ficavam no topo da colina. Acontece que dos três, um dos selvagens na verdade se revela como uma mulher de cabelos cor de fogo, que posteriormente se apresenta como Ygritte. Cobra das Pedras sugere que Jon a mate, mas Jon acaba não seguindo sua sugestão e mantendo ela como capturada. Ao saber que Jon é um bastardo da família Stark, Ygritte conta uma história do Bardo Bael, onde insinua que o mesmo teve um filho com uma filha de um Lorde Stark, e que por conta disso o sangue dos selvagens também correm nas veias dos Starks.

Quando Qhorin chega com os outros patrulheiros, ele ordena que Jon Snow dê cabo da selvagem e deixa eles a sós para que Jon faça o que tem que ser feito. Enquanto Jon estava prestes a decapitá-la, Ygritte fala a ele que Mance o aceitaria entre os selvagens se ele fugisse com ela, e então Jon acaba desistindo e permitindo a fuga dela.

Após a fuga da selvagem, Jon conta ao Meia-Mão sobre o que Ygritte falou a respeito de Mance Rayder (que o aceitaria como um dos seus, caso ele fugisse com ela). O Meia-Mão confirma isso. Ele fala que conheceu Mance quando ele ainda era um Patrulheiro, e que antes de ser um, ele fora um selvagem capturado pela Patrulha da Noite ainda bebê. Qhorin suspeita que Jon deixou a garota fugir, e Jon confirma isso. Posteriormente Jon sonha com cinco Lobos Gigantes, quando na verdade deveria haver seis, e também vê através dos olhos de Fantasma, o seu Lobo Gigante, e nessa visão ele vê uma Árvore-Coração com o rosto parecido com o do seu irmão, sendo que com três olhos. Seu irmão explica a ele como abrir os seus olhos e o toca com um galho, e de repente ele está nas montanhas. Ele está em cima de um penhasco e avista milhares de homens treinando para combate, e também vê Mamutes e Gigantes montando neles, e finalmente vê uma águia voando em sua direção.

Jon acorda gritando o nome de Fantasma e logo conta aos outros patrulheiros sobre o seu sonho. Meia-Mão fala que isso é um sonho de lobo enquanto os outros falam que ele é um troca-pele. Não querendo dar chance ao azar, Qhorin decide que eles têm que voltar para o Punho dos Primeiros Homens para avisar ao restante da Patrulha da Noite. No caminho de volta eles avistam uma águia que se encontra fora de alcance de flechadas, e pouco depois eles se encontram com o Fantasma que está ferido. Como Qhorin suspeita que a águia espreitando seja na verdade um troca-pele, um dos Patrulheiros resolve ficar no local onde Jon e Cobra das Pedras abateram os selvagens, para dar uma chance ao restante dos homens voltarem em segurança.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 28Com o clima no Passo dos Guinchos piorando consideravelmente, Qhorin envia Ebben no último garrano para chegar ao Senhor Comandante o mais rápido possível, enquanto o restante tenta se esquivar da perseguição. Ainda seguidos pela águia, Qhorin ordena que Cobra das Pedras também faça seu caminho para o Punho dos Primeiros Homens de outra forma, e que avise o Senhor Comandante do sonho que Jon Snow teve, mencionando os Gigantes, os Wargs e coisas até piores e também que as árvores voltaram a ter olhos. Após a partida de Cobra das Pedras, ficam apenas Qhorin e Jon traçando o caminho de volta ao Punho dos Primeiros Homens, e enquanto sós, Qhorin ordena que assim que os selvagens os alcançarem, ele deve se render e virar a casaca e fazer o que for necessário para eles acreditarem nele. Qhorin pede que ele siga os selvagens, descubra o que eles estão planejando, veja o que eles estão fazendo, mas que não se esqueça de quem ele é, e que retorne para Mormont assim que descobrir o que os selvagens estão procurando. Prometendo ao fim falar a Mormont que Jon nunca quebrou o juramento assim que ele vê-lo novamente.

Finalmente eles são encontrados pelo Camisa de Chocalho e um grupo de selvagens, dentre eles a própria Ygritte está presente. Aqui eles apresentam a cabeça de Ebben, o patrulheiro que havia partido no garrano, e o Camisa de Chocalho ordena que os selvagens matem os dois, ao passo que Jon prontamente se rende como havia sido requisitado por Qhorin Meia-Mão. Ao vê-lo se rendendo, Qhorin pragueja algo como “Sempre me avisaram que sangue de bastardo é covarde!“, e após um breve combate, Jon Snow acaba matando o Patrulheiro Qhorin Meia-Mão, ganhando assim a confiança dos demais (menos do Camisa de Chocalho, que continua desconfiado). Ygritte por fim fala a Jon que um dos homens que foram mortos quando ela foi capturada, agora é aquela águia que os perseguiam há pouco.

Catelyn Tully

Ao contrário da série televisiva, que por ser obviamente de um formato diferente, acaba sendo impraticável mostrar os personagens através dos seus pontos de vista (os famosos personagens POV dos livros), no livro toda a trajetória do Rei no Norte é contada na verdade através do ponto de vista da sua mãe, Catelyn Tully.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 29A Senhora Catelyn observa seu filho, Robb Stark, entregar a Sor Cleos Frey o seu tratado de paz. Depois disso ela discute com ele por achar imprudente o fato dele não ter ofertado a troca de Jaime Lannister pelas suas irmãs (Arya e Sansa Stark), e também por ter enviado Theon Greyjoy para as Ilhas de Ferro para tratar com o seu pai. Posteriormente ela tem uma conversa com seu tio Brynden Tully, o Peixe Negro, da qual resulta num plano: Fazer uma aliança com Renly Baratheon, um dos pretendentes ao Trono de Ferro.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 31Catelyn finalmente chega à Campina, no castelo de Ponteamarga, onde está havendo um torneio de justas. Lá Renly Baratheon se encontra em seu trono ao lado da bela Margaery Tyrell. Dentre os combatentes, um enorme cavaleiro azul enfrenta Sor Loras Tyrell, e mesmo com certa dificuldade, acaba vencendo-o e se apresentando na verdade como uma mulher (uma das personagens femininas mais intrigantes já apresentadas em As Crônicas de Gelo e Fogo), conhecida como Brienne de Tarth, ou “A Bela” para os mais jocosos.

Com sua vitória, Brienne consegue vaga como o sétimo cavaleiro da Guarda Arco-íris. Mais tarde Catelyn tem uma conversa a sós com Renly, e o jovem Baratheon oferece aliança ao Robb desde que o mesmo o aceite como seu Senhor e dobre o seu joelho, pois ele possui um grande exército, uma forte guarnição em Ponta Tempestade, e logo terá o apoio de toda Dorne e também do seu irmão mais velho, Stannis Baratheon. Logo após a conversa, um mensageiro chega trazendo notícias de que Ponta Tempestade está cercada, e Rienly afirma que se o Tywin Lannister tivesse saído do Castelo de Harrenhall ele saberia, ao que o mensageiro fala que quem está cercando o castelo não é Tywin, mas sim Stannis Baratheon.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 30Nesse momento o choque de interesses é evidente: Catelyn busca apoio para a guerra contra os Lannisters, enquanto Renly e Stannis disputam pelo Trono de Ferro, cada um com as suas próprias justificativas de direito ao trono. Catelyn até tenta trazer alguma razão para os irmãos, mas sua tentativa é em vão. Ela acaba descobrindo da carta que Stannis enviou, afirmando que Joffrey e Tommen são filhos bastardos da relação incestuosa entre Cersei e Jaime. No final das contas, Renly deixa claro que levará esse problema até as últimas consequências e que na manhã seguinte haverá guerra, e impede Catelyn de voltar a Correrrio, dizendo que ela espere o resultado dessa batalha para contar a Robb o que acontece com rebeldes.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 32Enquanto Catelyn faz suas preces, ela acaba percebendo que tanto Jon Arryn quanto Ned Stark sabiam da relação de incesto entre Cersei e Jaime, e por isso morreram, ela também chega a conclusão de que Bran também descobriu isso. Ela vai até o pavilhão de Renly, onde Brienne está preparando ele para a batalha, para tentar persuadi-lo a convocar um grande conselho com ele mesmo, seu irmão Stannis e Robb, para escutarem o que Bran tem a dizer, mas ele se recusa e subitamente uma estranha sombra que de alguma forma lembra Stannis surge na tenda de Renly e o corta pela garganta. Quando isso acontece, um cavaleiro e mais dois homens armados entram na tenda, e Catelyn e Brienne acabam dando conta deles e fugindo junto com os homens que escoltaram Catelyn até o acampamento de Renly.

Chegando em Correrrio Catelyn descobre sobre os avanços da guerra de Robb Stark e dos seus vassalos e também que Tywin Lannister está a caminho de Correrrio. Aproveitando o momento, Catelyn torna Brienne sua espada juramentada. Ao chegar em Correrrio, Catelyn avista vários Lannisters enforcados, e descobre que esses foram os que tentaram resgatar Jaime Lannister, sendo algumas dessas investidas quase bem sucedidas. Quando o intendente do seu pai, Utherydes Wayn, pergunta se há esperança de ajuda do Sul (Stannis) para entrar na guerra por uma causa comum, ela responde que Stannis já está em causa comum com outras forças maiores e mais sombrias. Além de  tudo isso, ela descobre que seu irmão, Edmure Tully, enviou o Senhor do Forte do Pavor, Roose Bolton, para tomar o Castelo de Harrenhall e que esse mesmo casou com uma das filhas do Senhor Walder Frey, das Gêmeas. Finalmente ela é levada para as Irmãs Silenciosas que estão com a ossada de Eddard Stark enviadas pelo próprio anão, Tyrion Lannister.

No capítulo 45 de A Fúria dos Reis o que mais se percebe é o tal pressentimento materno.

Apesar dos resultados positivos que estão acontecendo na guerra que seu filho e os demais estão travando, Catelyn demonstra-se constantemente preocupada e temerosa. Um dos grandes feitos desse momento da história, é a defesa de Correrrio protagonizada por Edmure Tully, o irmão mais novo de Catelyn. Mesmo com constantes ataques da Casa Lannister, coordenados por um dos comandantes de guerra mais famosos (a saber, Tywin Lannister), Edmure consegue repelir todos eles, isso não impressiona a Senhora Catelyn, que continua constantemente preocupada.

Davos Seaworth

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 33Dando sequência aos acontecimentos do prólogo, Lorde Davos assiste a grande queimada das Estátuas dos Sete criada por Melisandre. Ele e seus filhos observam o ato, e esses últimos concordam com Davos que queimar os deuses é uma coisa doentia, mas o Cavaleiro das Cebolas (Davos) os adverte que ali não é lugar para falar isso.

Durante o “evento”, a Sacerdotisa Vermelha fala sobre uma antiga profecia, que ao final do Longo Verão, quando as estrelas sangrarem (referência clara ao Cometa Vermelho tão comentado durante o segundo livro) e a escuridão cair sobre o mundo, Azor Ahai renascerá e trará consigo a espada flamejante Luminífera e acabará com a escuridão. Daí ela chama Azor Ahai para reivindicar sua espada, e Stannis Baratheon segue em frente para dar sequência ao ritual, e ao adentrar no fogaréu, retira uma espada quase derretida da estátua da Mãe (Uma das entidades da Fé dos Sete).

No porto, Davos entra em uma estalagem onde encontra com Salladhor Saan, um pirata de Lys. O extravagante pirata lyseno traz notícias de Porto Real, e afirma que Tyrion Lannister chegou há pouco e está coordenando a capital. Saan também conta que Renly Baratheon saiu de Jardim de Cima com o seu exército e com sua nova rainha. Davos sugere que Stannis deve saber disso urgentemente, mas Saan o interrompe dizendo que já o fez, e pelo visto palavras de piratas não são do interesse do Rei.

Agora, nos aposentos de Stannis, estão ele mesmo e Pylos, o novo Meistre, e quando Davos chega ao local, Stannis pede que ele leia a carta, e Davos acaba tendo que dizer que ele não sabe ler, e então, impaciente, Stannis ordena que Pylos o faça. Como acho de extrema importância o conteúdo dessa carta, colocarei o conteúdo dela aqui na íntegra, com tradução livre:

“Todos os homens me conhecem como filho legítimo de Steffon Baratheon, Senhor de Ponta Tempestade, com a sua senhora esposa Cassana da Casa Estermont. Eu declaro pela honra da minha Casa que o meu amado irmão Robert, nosso antigo Rei, não deixou filho legítimo do seu próprio sangue, o garoto Joffrey, o garoto Tommen, e a garota Myrcella são abominações frutos do incesto entre Cersei Lannister e seu irmão Jaime o Regicida. Pelo direito de nascimento e sanguíneo, eu reivindico o Trono de Ferro e os Sete Reinos de Westeros. Que todos homens verdadeiros declarem a sua lealdade. Feita na luz do Senhor, sob o sigo e selo de Stannis da Casa Baratheon, o Primeiro do Seu Nome, Rei dos Ândalos, dos Roinares, e dos Primeiros Homens, e Senhor dos Sete Reinos.”

Após a leitura Stannis ordena que Pylos acrescente Sor antes do nome de Jaime, já que o mesmo ainda é um cavaleiro, e que tire amado irmão, já que é mentira. Em seguida ordena que sejam enviados todos os 117 corvos para todos os cantos dos Sete Reinos, para que todos saibam quem é o Rei verdadeiro. É válido salientar que desde o início Davos, assim como o finado Meistre Cressen, teve uma forte inclinação de desconfiança em relação a Sacerdotisa Vermelha, Melisandre.

Como Davos tem apenas três capítulos dedicados a ele como protagonista, o seu segundo já se passa após a morte de Renly pela sombra misteriosa.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 34Davos volta para as tropas de Stannis após entregar as mensagens para todo o reinado, e descobre que Stannis está tendo terríveis pesadelos e que apenas Melisandre é capaz de acalmá-lo até dormir. Ela está dividindo o mesmo pavilhão que Stannis nas noites, e Davos se pergunta como exatamente ela o acalma para dormir. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Logo que Renly morreu, a maioria das Casas que o apoiavam passaram a apoiar Stannis, com exceção da Casa Tyrell, que acabou voltando para Ponteamarga depois do acontecido. O cerco do Castelo de Ponta Tempestade continua, e Stannis pretende capturar Edric Storm, último filho bastardo do seu irmão Robert, pois foi assim que Melisandre viu nas chamas. Assim como viu a morte de Sor Cortney Penrose, o atual castelão de Ponta Tempestade, que se negou a aceitar os termos que Stannis o propôs.

O Rei Stannis orderna que Davos veleje junto a Melisandre em um bote à luz da noite para baixo de Ponta Tempestade, como ele já fizera quinze anos atrás em sua época de contrabandista. Enquanto velejam, Davos pergunta a Melisandre se ela é do bem ou do mal, ao que ela responde que com certeza do bem, que ela mesma é um tipo de caveleiro. Um campeão da luz e da vida. Ele refuta chamando-a de mentirosa, pois nesse exato momento ela pretende matar um homem, assim com fez com Meistre Cressen e com Renly. Ela, por sua vez, responde que Cressen se envenenou e ela nada tem a ver com a morte de Renly. Davos declara que uma sombra é algo da escuridão, ao que Melisandre o refuta mais uma vez dizendo que sombras não existem no escuro, elas são servas da luz e do fogo, providos pelo deus dela, R’hllor.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 35Quando eles chegam a um túnel de água abaixo do castelo, Melisandre tira o roupão e revela-se como uma mulher grávida, e Davos assiste aterrorizado a Sacerdotisa Vermalha dar luz a uma sombra, e Davos reconhece o homem da sombra que foi invocada.

No terceiro capítulo de Davos, estamos agora já na Batalha da Água Negra, onde Davos adverte (e advertiu antes da Batalha) Sor Imry Florent de várias falhas estratégicas ao querer adentrar no estreito da Torrente de Água Negra, e por essa falha, a estratégia criada por Tyrion Lannister acabou sendo bem sucedida, fazendo com que grande parte das tropas marinhas de Stannis fosse dizimada, incluindo aí as três embarcações Seaworth. Com o incêndio provacado pelos inúmeros frascos de fogo vivo que foram lançados nas embarcações, Davos por pouco não morreu, mas enquanto estava consciente à deriva, pôde observar a gigantesca corrente bloqueando a passagem da Torrente da Água Negra.

Theon Greyjoy

Antes, no primeiro livro, apresentado como um personagem secundário, em A Fúria dos Reis Theon Greyjoy ganha uma importância consideravelmente maior, chegando inclusive a ter um capítulo a mais do que a própria Daenerys Targaryen.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 36Levando consigo uma carta de Robb Stark para Balon Greyjoy, que consta uma proposta de aliança reconhecendo indepedência das Ilhas de Ferro, Theon Greyjoy demonstra ser um poço de soberba, e isso pode ser percebido nitidamente quando ele decide tomar o Cometa Vermelho, que está aparecendo nos céus, como seu.

Chegando em Pyke, a maior ilha das Ilhas de Ferro, Theon tem o seu primeiro baque, pois seu sonho de grandeza cai por terra quando não foi recebido como achava que um príncipe deveria ser. Mesmo após o anúncio do capitão do navio que o levou até Pyke, ninguém pareceu dar muita importância, e ao pedir um cavalo em uma estalagem, o estalajadeiro nem sequer o reconheceu. Durante essa conversa com o estalajadeiro, um sacerdote do Deus Afogado aparece interrompendo a conversa e se habilita a escoltar o seu sobrinho.  O homem em questão atende pelo nome de Aeron Greyjoy, e é o irmão mais novo de Balon Greyjoy. Theon estranha a atual versão fria do seu tio, que antes era mais amigável. Aeron pergunta a Theon se ele agora reza para os deuses dos Starks, e Theon, mesmo sem venerar deus algum, responde que não.

Se reencontrando com o seu pai, Theon tem suas expectativas de grandeza mais uma vez frustradas, pois Balon deixa claro que está bastante decepcionado com Theon, a começar pelas suas vestimentas, que segundo Balon, parecem com vestimentas de mulher. Ele também pergunta se a corrente de ouro ao redor do seu pescoço foi comprada com Ferro ou Ouro, fazendo com que Theon lembre que o Antigo Costume estipula que guerreiros só devem vestir joias que eles pilharam dos inimigos derrotados. Balon também revela que é orgulhoso de sua filha, Asha Greyjoy, quando diz que ela tomou um machado como amante, e que não vai aceitar um filho vestido como uma puta.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 37Finalmente, ao entregar a tal carta para Balon, o mesmo não fica nada impressionado, e diz que ele mesmo pagará o Preço de Ferro, pois ele irá tomar a coroa para si mesmo, sem depender de acordo algum com Robb Stark.

Curiosidade: Preço de Ferro refere-se a forma como o Antigo Costume dos nascidos do ferro dita as formas das suas “transações”, que não são dadas através de moeda corrente, mas através de pilhagem.

Theon está contemplando sua nova embarcação, quando uma mulher nascida do ferro, que se apresenta como Esgred. Theon passa a flertar com ela, dizendo inclusive que já teve mulheres o suficiente, mas nenhuma como ela, e que ele até ficou de “greyjoyzinho” duro, Esgred, por sua vez, dá uma apalpada e confirma que ele não está mentindo. Eles continuam o flerte até que Theon a convida para um banquete que terá no castelo, e ela aceita, mas diz que não possui cavalo, e que terá que ir montada no cavalo dele. Eles então voltam para Fidalporto para Theon pegar o seu cavalo, e ao se direcionar para o Castelo, Theon percebe que as pessoas finalmente passaram a reconhecê-lo, pois as mesmas ficam quietas e reverenciado-o.

Quando finalmente eles chegam ao Castelo de Pyke, o cavalariço dirige a palavra a Esgred chamando-a de Asha, dizendo que a Asha voltou. Theon fica nitidamente embasbacado enquanto Asha explica que ela não o contou quem era antes, por que queria primeiro saber quem ele era. Quando é chegada a hora do banquete, Theon percebe que o lugar ao lado do pai que deveria pertencer a ele, está na verdade ocupado por Asha Greyjoy. Isso obviamente o enfurece. Para completar o desgosto de Theon, após o banquete, em uma reunião na Torre do Mar, o príncipe Greyjoy acaba sabendo dos planos do seu pai de mandá-lo tomar a Costa Pedregosa ao Norte de Westeros com oito dracares (principais embarcações das Ilhas de Ferro), enquanto envia Asha Greyjoy comandando trinta dracares para tomar o Bosque Profundo, a sede da Casa Glover, que fica a noroeste de Winterfell. Obviamente Theon acredita que era ele que deveria tomar Bosque Profundo.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 38De todo modo, Theon assume a sua incumbência, e sem muita dificuldade (quase nenhuma, na verdade) consegue tomar a Costa Pedregosa, e só chega a perder um homem, Todric, por que o mesmo não respeitou a regra de não beber e não brigar pela pilhagem. Theon tentou acertar a mão de Todric com uma flecha como advertência, mas acabou o acertando na barriga. A maioria dos inimigos foi passada na espada, exceto alguns que tiveram a liberdade de escapar para levarem as notícias para Praça de Torrhen e outras mulheres que foram transformadas em esposas de sal e escravos. Acontece que esse feito não retira a cara de infelicidade de Theon, que ainda está amargurado pela sua missão secundária enquanto sua irmã avança para a tomada de Bosque Profundo. Ao conversar com Dagmer Boca-Rachada, Theon o informa de seu plano de fazer um cerco ao castelo de Praça de Torrhen e de atrair a atenção do castelão de Winterfell para esse cerco. Dagmer fala que eles não terão homens o suficiente para enfrentar a ajuda de Winterfell e ganhar, ao passo que Theon disse que ele não pretende conquistar esse castelo.

Nesse momento Theon já se encontra como “Príncipe de Winterfell“, e após um pesadelo, logo descobre que tanto Bran, quanto Rickon e seus dois Lobos Gigantes estão sumidos, assim como também acabara de perder dois de seus homens que se encontravam próximos ao Portão do Caçador. Não muito tempo depois descobre que Osha, Hodor e os irmãos Reed também estão desaparecidos. Ao perguntar para os residentes de Winterfell, ninguém responde sobre o paradeiro deles, e isso faz com que Fedor aconselhe Theon a esfolar eles, assim como Lorde Bolton dizia: “Um homem nu tem poucos segredos, um homem esfolado tem nenhum“. Apesar do conselho, Theon não o segue, mas segue o seu segundo conselho, de ir procurar os garotos num moinho a nordeste de Winterfell, em Águas de Bolotas.

Catelyn Tully (parte II)

Todos comemorando no Castelo de Correrrio, e a Senhora Catelyn triste e sem vontade de cantar uma bela canção por causa do corvo que chegou com a notícia de que ela perdera seus dois filhos mais novos para o traidor Greyjoy. Ela conversa com Brienne sobre ter enviado vinho para Jaime Lannister para que assim ele solte verdades mais facilmente. Ela tem inteção de interrogá-lo, mas também não descarta a possibilidade de matá-lo, já que ao perder quase todas as suas crianças, ela pouco tem motivo para viver.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 39A noite Catelyn vai até Jaime para interrogá-lo e pede que Brienne a espere do lado de fora. A princípio Jaime faz chacota da Senhora Tully, mas eventualmente concorda em responder todas as perguntas dela, desde que ela responda todas as dele.  Ele então admite que todos os filhos de Cersei Lannister são deles dois e que ele mesmo jogou Bran pela janela da torre em Winterfell, mas nega qualquer participação no envio do assassino para dar cabo da vida de Bran, dizendo que se o quisesse morto, ele mesmo teria o matado. Catelyn então o indaga sobre a adaga que o Mindinho afirmou ser do seu irmão, Tyrion Lannister, e que o mesmo tinha ganho em um torneio. Jaime fala o que o seu próprio irmão havia dito nas Montanhas da Lua, que ele sempre aposta no seu irmão, e perdeu naquele torneio. Catelyn então fica desapontada com Mindinho, que fora como um irmão para ela antes, e agora estava agindo dessa forma.

Catelyn revela então que Robb tomou o Despenhadeiro da Casa Westerling e que está cada vez mais próximo de Rochedo Casterly, e então Jaime desvia o assunto para algo não correlato, mas de extrema importância: O que realmente aconteceu com Brandon Stark, o finado irmão do também finado Eddard Stark, e com o Senhor Rickard Stark, o finado pai dos finados.

Note que esse momento é de extrema importância para a descontrução do personagem de Jaime.

Brandon estava a caminho de Correrrio, quando soube do rapto de Lyanna Stark (a irmã mais nova de Ned Stark e prometida ao seu grande amigo, Robert Baratheon), ele então mudou sua direção para Porto Real com um grupo de amigos, todos filhos de proeminentes senhores, e ao entrar na Fortaleza Vermelha, gritou em alto e bom tom para Rhaegar:Apareça e morra!“.

Como Rhaegar não estava lá, Aerys Targaryen, o Rei Louco, prendeu Brandon e seus homens por conspiração de assassinato ao seu herdeiro e ordenou que os pais dos conspiradores fossem até Porto Real para responderem pelos crimes de seus filhos. Quando os pais chegaram, tanto eles quantos seus filhos foram assassinados sob o comando do Rei Louco, enquanto Brandon morreu estrangulado tentando alcançar seu pai que estava queimando vivo pelos piromantes do Rei Aerys.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 40Jaime que era um jovem cavaleiro da Guarda Real quando assistiu isso tudo, ouviu de Sor Gerold Hightower que ele havia feito um juramento de proteger o rei, e não de julgá-lo, e no entanto todos consideravam Sor Gerold um homem mais honrado do que ele.

Ele, agora completamente bêbado, resmunga com raiva que ele é rechaçado pelo o que ele considera ter sido o seu ato mais nobre, e começa a zombar da honra de Ned Stark, dizendo que ao contrário dele, que teve um filho bastardo, ele nunca foi infiel, e que Ned não tinha o direito de julgá-lo, logo o homem que vingou a morte do seu pai e do seu irmão, mas Catelyn já havia ouvido demais e então clamou pela espada de Brienne.

Theon Greyjoy (Parte II)

Mais uma vez Theon está tendo um pesadelo quando é acordado por Fedor, que o avisa da chegada de sua irmã, Asha Greyjoy. Ele sonhava com a noite em que ele e Fedor mataram os garotos no moinho e colocaram as suas cabeças esfoladas sobre os portões de Winterfell. Asha despreza seu irmão por ter matado suas crianças, ainda mais por serem dois príncipes que poderiam ser raptados e mantidos como protegidos em Pyke. Theon pede reforços a sua irmã, e a mesma que foi acompanhada de vinte homens, só pretende deixar dez homens com o seu irmão, apesar de aconselhá-lo a seguir com ela para Bosque Profundo e queimar Winterfell antes disso. Theon se nega a deixar seu prêmio, mesmo sabendo que Dagmer Boca-Rachada perdeu em Praça de Torrhen e que os nortenhos, liderados por Rodrik Cassel, estão marchando de volta a Winterfell. Fedor revela que nasceu no Norte, e que com um saco de moedas pode trazer de cem a duzentos homens para a causa de Theon, e o mesmo o envia na esperança de obter uma guarnição maior qualquer.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 41aEntão, mais uma vez, Theon se pega tendo pesadelos com os mortos, dentre eles Eddard Stark e Robert Baratheon. Ao acordar Theon sai dos seus aposentos e compreende que o castelo é dos Starks e que ele deveria ter voltado com sua irmã. Ao olhar para as duas cabeças suspensas nos portões de Winterfell, Theon reflete sobre o quão burras sãos as pessoas quando enxergam com seus corações em vez dos seus olhos. As cabeças ali fincadas são dos filhos dos camponeses do moinho, já que Theon e Fedor nunca chegaram a encontrar Bran e Rickon.

Meistre Luwin tenta convencer Theon a se render quando Sor Rodrik Cassel chegar, já que não haverá cerco. Theon possui poucos homens consigo, cerca de dezessete, já que muitos desertaram, inclusive os dez deixados por sua irmã. Mesmo os homens que continuam fiéis a ele, têm desprezo por ele. Quando Sor Rodrik chega cercando o castelo, o mesmo dá a chance a Theon de morrer de forma honrosa se o mesmo abrir os portões de Winterfell, e então o Príncipe de Winterfell, em sua última tentativa de sobrevivência, mostra Beth Cassel, a filha de Sor Rodrik, com uma corda no pescoço, e promete matá-la caso Sor Rodrik não desista do seu plano de invasão. Acontece que Sor Rodrik é muito honrado para baixar a cabeça, e diz que Theon tem até o pôr do Sol para mudar de ideia, antes que ele derrube as paredes.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 41Mais tarde Meistre Luwin dá a Theon uma ideia que pode ser sua única salvação: Se render e vestir o negro (se unir à Patrulha da Noite), tendo assim todos os seus pecados perdoados e talvez uma chance de ser respeitado novamente. Infelizmente Theon não teve a chance de aproveitar esse trunfo, pois vários homens de Forte do Pavor começaram a batalhar contra as forças dos outros nortenhos liderados por Sor Rodrik, e ao final dessa batalha, o líder das forças de Forte do Pavor se apresenta como Fedor, mas ao adentrar em Winterfell Fedor revela sempre ter sido Ramsay Snow, o bastardo de Roose Bolton. Ramsay apresenta os corpos de Sor Rodrik e outros vassalos da Casa Stark e acerta um soco na cara de Theon, mandando em seguida os seus homens salvarem os Frey (Pequeno e Grande Walder) e queimarem o resto. “Queimem! Queimem tudo…” disse o bastardo, enquanto a última coisa que Theon via era seu cavalo Sorridente, em chamas.

Bran Stark (parte II)

Jojen acorda Bran de mais um “sonho de lobo” e o alerta a passar menos tempo como Verão, já que enquanto o Lobo come nos sonhos, ele não. Bran então informa que Winterfell agora é só cinzas com exceção das paredes de pedra. Durante todo o tempo eles ficaram escondidos na Cripta de Winterfell. Ao sairem da cripta, eles se deparam com vários homens de ferro do Theon e alguns homens portando o brasão de Forte do Pavor.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 24Os Lobos Gigantes se juntam novamente ao grupo composto por Bran, Rickon, Hodor, Osha e Jojen e Meera Reed, e leva eles até o Meistre Luwin que está a beira da morte no Bosque Sagrado. Meistre Luwin pede a Osha que não envie os irmãos juntos, já que eles são os últimos herdeiros de Robb, apesar de não ter certeza de para onde eles devem ir, já que a Oeste de Winterfell encontram-se os Nascidos do Ferro, à Leste os homens do Bastardo de Bolton e ao Sul guerra para todos os lados. Luwin também pede que Bran seja forte, pois ele é filho de Ned Stark.

No final das contas Osha pede para que os demais saiam para ela dar o golpe de misericórdia no velho moribundo, e então fica decidido que enquanto ela e Rickon juntos com Cão Felpudo irão para o Sul, provavelmente para Porto Branco, o Bran, Hodor, Verão e os irmãos Reed irão atrás do corvo de três olhos, para lá da Muralha. Enquanto Bran olha para Winterfell de longe, por quem sabe a última vez, ela pensa consigo que as pedras são fortes, as raízes das árvores vão fundo, e abaixo do solo os Reis do Inverno sentam em seus tronos. Não está morto, apenas quebrado, assim como ele mesmo.

Daenerys Targaryen

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 42Em seu primeiro capítulo, Daenerys Targaryen entende o Cometa Vermelho como o mensageiro de sua vinda, e por isso resolve segui-lo. Para tanto, Dany precisa seguir pela região desértica conhecida como Deserto Vermelho.  A pequena khaleesi então ordena que seu pequeno khalasar se dirija em direção ao Deserto Vermelho, e não obtém nenhuma objeção, pois ela é a Mãe dos Dragões e a Não Queimada, e a palavra dela é lei.

Apesar da sua obstinação, seu pequeno khalasar é composto em sua maioria pelos mais fracos e indesejados, e portanto os menos resistentes a uma travessia tão perigosa quanto essa, e eventualmente um e outro Dothraki vão caindo mortos no caminho, incluindo aqui a própria Doreah, a aia de Daenerys que a ensinou a “montar” Khal Drogo. Depois de alguns dias após ter enviado olheiros pelo deserto, eles voltam com a notícia de que há uma cidade no caminho, e então Dany pede que seus companheiros de sangue explorem a cidade. Após receber a notícia de que a cidade está desabitada, apesar de ser avisada por Jhiqui (sua outra aia) sobre evitar assombrações, Daenerys não hesita em adentrar a cidade, e lá encontram árvores frutíferas e água fresca, mas também encontram ossos, o que faz Irri (uma outra aia de Dany) murmurar sobre fantasmas, ao passo que Daenerys afirma que seus dragões são mais poderosos.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 43A Mãe dos Dragões, em uma conversa com Sor Jorah Mormont, falando sobre fantasmas daqueles que já foram, pergunta ao cavaleiro quais são os fantasmas dele, e o mesmo então conta a história do seu primeiro casamento, arranjado por Jeor Mormont (sim, o Senhor Comandante da Patrulha da Noite), com uma mulher estéril da Casa Glover e do seu segundo casamento com a linda Lynesse Hightower. Jorah nasceu na remota, fria e rústica Ilha dos Ursos, e em seu primeiro casamento, após várias tentativas de engravidar em dez anos de casados, sua esposa acaba morrendo no seu terceiro aborto espontâneo. Depois da vitória contra a Rebelião dos Greyjoy, ocorreu um torneio em Lannisporto onde Sor Jorah acabou conhecendo Lynesse Hightower e pedindo a ela um lenço para participar das justas, e após obter vitória em todas as justas, inclusive conseguindo um empate contra Jaime Lanister em sua última justa, Jorah ganhou o título de campeão e declarou Lynesse como sua Rainha do Amor e da Beleza. Naquela mesma noite pediu a mão dela ao seu pai, Leyton Hightower, em casamento, e o mesmo aceitou.

Ambos casaram por amor, mas infelizmente o sentimento não durou muito, já que Lynesse estava acostumada com toda a mordomia da Campina, e a vida sofrida e dura da Ilha dos Ursos acabou a tornando muito infeliz. Numa tentativa de trazer um pouco do estilo de vida que Lynesse estava acostumada a ter, Jorah acabou se endividando corrosivamente, e para pagar suas dívidas, acaba tendo que apelar para o contrabando de escravos, e quando o Suserano da Casa Mormont, Ned Stark, descobre, condena Sor Jorah à pena de morte tradicional: a MORTE (Tá pensando o que, Mano Brown? Aqui é Westeros, não Pokémon). Como Sor Jorah não estava muito a vontade com essa pena de morte, ele decidiu se exilar do outro lado do Mar Estreito, em Lys. Porém, seu casamento continuou a definhar, até o momento que sua esposa o largou para se tornar concubina chefe do príncipe mercador Tregar Ormollen, partindo assim o coração do não tão nobre cavaleiro endividado, que passou a ser mercenário para ganhar uns trocados. Ao final de toda a história, Jorah diz a Não Queimada que ele odeia Lynesse tanto quanto a ama, e ao sair, quando Daenerys lhe pergunta como ela se parece, Sor Jorah diz que ela se parece muito com a sua khaleesi.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 44Após a saída do cavaleiro dos seus aposentos, Dany percebe que Sor Jorah a ama e a quer, mas não como rainha e sim como mulher (ih, rimou!). Ela tenta se imaginar com ele, mas ela não gosta muito da ideia. E naquela noite acaba sonhando montando dragões ao lado de Khal Drogo. Na manhã seguinte Daenerys convoca seus companheiros de sangue para fazer exploração no Deserto Vermelho montados em cavalos saudáveis e cheios de suprimentos. Aggo é enviado para o Sudoeste, Rakharo para o Sul e Jhogo para o Sudeste. Enquanto o restante espera na cidade nomeada pelos Dothrakis de Vaes Tolorro (cidade dos ossos), o khalasar tem a oportunidade de se recuperar, assim como o ferimento que Sor Jorah levou ao enfrentar Qotho, ainda em A Guerra dos Tronos.

Eventualmente os companheiros de sangue vem chegando trazendo informações de suas explorações, mas é Jhogo que traz consigo três indivíduos de aparência escandalosa da cidade de Qarth, sendo eles: Pyat Pree, um bruxo, Xaro Xhoan Daxos, um príncipe mercante e membro dos Treze e finalmente Quaithe, uma sacerdotisa de Asshai também conhecida como Quaithe das Sombras. Todos eles vão até Vaes Tolorro com um único objetivo: Ver os dragões. E ao ser anunciado o objetivo deles, Daenerys responde que eles os encontraram.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 45Quando Daenerys chega com os seus à Qarth, eles são recebidos com uma grande celebração. Dany percebe que a cidade é realmente enorme, sendo cercada por três paredes concêntricas, sendo a primeira de 9 metros, a segunda de 12 metros e a última de 15 metros. Xaro Xhoan Daxos e Pyat Pree a “cortejam” como podem, cada um a sua maneira. Eles também se alfinetam entre si, tentando desqualificar os cortejos adversários. Em dado momento Sor Jorah sussurra para Daenerys que “A gralha chama de preto o corvo“, aconselhando-a a evitar ambos os homens. Dany no entanto quer a ajuda de ambos para conquistar o seu Trono de Ferro de direito. Os aposentos que Xaro Xhoan Daxos reserva a Daenerys vão muito além das expectativas dela, sendo o seu palácio maior do que uma cidade mercante, com uma ala toda dedicada somente a ela. Antes de sair, Xaro fala a Dany que no dia seguinte haverá um banquete para ela, com a presença dos Treze que virão para fazer honra a Rainha dos Dragões. Quaithe, que é a última a sair, avisa a Daenerys para tomar cuidado com todos, pois todos desejam o poder dos seus dragões.

Logo após isso, Sor Jorah, apesar de concordar com Quaithe, pondera que ela também não é confiável, ao que Daenerys concorda que ela é esquisita, pois enquanto os outros enchem ela de promessas, a mulher mascarada a enche de palavras enigmáticas. Dany então envia seus companheiros de sangue para conhecerem Qarth além do que os seus anfitriões queriam que ela conhecesse, e envia também Sor Jorah para obter informações dos Sete Reinos. Depois disso, ao tomar banho e ter algumas dúvidas quanto ao seu sucesso quanto aos seus inimigos de Westeros, ela decide que a Estrela Sangrenta (o Cometa Vermelho) a levou à Qarth por um motivo, e se os deuses quiserem que ela conquiste, ela terá um sinal.

No mais tardar, Sor Jorah chega acompanhado de um capitão de uma embarcação trazendo notícias de Westeros. Dentre as notícias, a principal se trata da morte de Robert Baratheon e das suspeitas de essa morte tenha sido dada por traição ou da Rainha, ou de um dos seus irmãos, ou do próprio Eddard Stark. Além disso, é dito que Joffrey agora ocupa a posição de Rei dos Sete Reinos, que o irmão mais novo de Robert fugiu, e que Ned Stark foi preso por traição. Sor Jorah, por sua vez, acha pouco provável que Eddard Stark seja capaz de trair. Ao final da conversa, após a saída do capitão, o cavaleiro fala a Rainha dos Dragões que ela precisará de ouro para travar essa guerra, ao que ela concorda mas diz que ela é sangue do dragão. Sor Jorah então fala que Robert matou um dragão com um martelo de guerra (se referindo ao seu irmão mais velho, Rhaegar Targaryen), e Dany retruca respondendo que dragões morrem, mas matadores de dragões também.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 45aDany, em uma conversa com Xaro Xhoan Daxos, diz que os Puronatos (os governantes de Qarth) recusaram-se a ajudá-la em sua causa, querendo apenas os seus dragões. Ela então pede mais uma vez navios ao Príncipe Mercante, mas o mesmo reafirma que não possui navios de guerra. Ela então considera a possibilidade de pedir ajuda aos Bruxos, mas Xaro pede a ela que não o faça. Passeando pelo mercado de Qarth, Dany vê um mago de fogo criar uma escada flamejante e subir nela. Xaro fala que foi um bom truque, mas Quaithe aparece e diz que isso não foi um truque. A sacerdotisa diz que há meio ano, o mesmo homem mal poderia fazer um pequeno fogo aparecer, e o poder dele aumentou graças a Mãe dos Dragões. Ela ainda dá um aviso a Dany de que ela deve sair da cidade logo, ou senão ela não será capaz de sair de lá nunca mais. Dany percebe que a sacerdotisa quer que ela vá para Asshai, e Sor Jorah Mormont percebe que eles não vão ter nenhuma ajuda ali. No final das contas, depois de conjecturar sobre a possibilidade de pedir ajuda ao Magíster Illyrio Mopatis, Dany acaba dando ouvidos ao seu cavaleiro que implora para ela pedir ajuda ao bruxo Pyat Pree.

Agora, no quarto capítulo da Daenerys, a arte de resumir é das mais difíceis. Por quê? Você se pergunta. Bem, eu vos digo que como se trata da visita da Dany a Casa dos Imortais, e que lá ela vê uma série de visões desconexas e aparentemente sem significado, não é possível resumir esse contexto em si, mas vamos dar uma leve pincelada.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 46A Daenerys chega finalmente a Casa dos Imortais, e seus companheiros de sangue avisam a ela que é melhor voltar, mas nesse momento ela já está resoluta. O Pyat Pree aparece e avisa que ela só pode entrar só. Ele a avisa que só pegue as portas à direita e que só pegue escadas que estejam subindo. Avisa também que ela terá visões do passado, do futuro e de dias que nunca existiram, e também que ela ouvirá vozes de outras portas, mas que ela não deve desviar do seu caminho até chegar ao salão de audiência dos Imortais.

Na entrada ela bebe uma taça de “sombra da tarde” dada por um anão para prepará-la para as verdades lá contidas, e então entra. Logo de cara ela percebe a presença de magia no local, e se sente feliz por ter trazido consigo o seu dragão Drogon. Daí para frente Dany se depara com inúmeras visões incompreensíveis para ela (e muito para quem lê também), até chegar aos aposentos dos Imortais.  A aparência dos Imortais é a de seres de sombra com um coração azul e sombrio sobre as suas cabeças. Em um determinado ponto, após falarem profecias enigmáticas dentro da mente de Daenerys, os Imortais passam consumir Daenerys que nada pode fazer, mas graças a Drogon estraçalhando os corações flutuantes dos Imortais, ela consegue sair dali. Ao sair, Pyat Pree tenta atacá-la com uma adaga, mas Drogon a salva mais uma vez, assim como o chicote de Jhogo e os braços do Sor Jorah.

as cronicas de gelo e fogo a furia dos reis 47Com a derrota dos Imortais, Xaro Xhoan Daxos alarma Daenerys do perigo que ela e seus seguidores correm, pois os Bruxos estão se reunindo para retalhar, e dois grandes mercantes de Qarth estão dispostos a expulsá-la ou matá-la. Dany então percebe que precisa fugir, mas não antes de receber novamente um pedido de casamento do Príncipe Mercante. Como a Rainha dos Dragões sabe que o interesse de Xaro é ter um dos seus dragões, já que o costume dos casamentos qartenos diz que ambos ao casarem ganham um pedido irrecusável, Daenerys responde que precisaria de um terço de todos os navios do mundo para abrir mão de um dos seus dragões. Com essa Xaro sai.

Dany sai com seus irmãos de sangue e seu cavaleiro exilado para a área portuária de Qarth em busca de embarcações que a levem de lá. No caminho, Sor Jorah a avisa que um grande homem cheio de cicatrizes e um velho com um bastão os estão seguindo. Durante o percurso um homem entrega uma linda caixa como presente a Daenerys, e ao abri-la, uma manticora sai de dentro dela, e só não envenena e mata a jovem Targaryen por que o velho que a estava perseguindo, intercepta a criatura com o seu bastão. O homem grande e cicatrizado se apresenta como Belwas, O Forte, e o velho com bastão como Sor Arstan Barba-Branca. Eles estão ali sob o comando do Magíster Illyrion Mopatis, que os enviou com a missão de trazer Daenerys de volta e então com os seus dragões trazer justiça aos Sete Reinos. Dany aceita a oferta dos três navios e decide sair imediatamente de Qarth, mas primeiro comanda trocar o nome dos três navios para Vhagar, Balerion e Meraxes, em homenagem aos dragões de Aegon Targaryen, O Conquistador.

 Conclusão

E aqui finalmente terminamos o tão aguardado (e tão demorado) resumo de A Fúria dos Reis. Por ser consideravelmente mais denso em questão de informações, eu achei impossível resumi-lo ao mesmo número de palavras que o nosso primeiro resumo, e dependendo do feedback de vocês, podem esperar um resumo mais extenso (ou não) do próximo livro da sequência: A Tormenta de Espadas. Utilizem o espaço de comentários a gosto!

Livro 01 | Livro 02 | Livro 03 | Livro 04 | Livro 05 | Livro 06 | Livro 07

  • Pingback: As Crônicas de Gelo e Fogo, um breve resumo dos livros (parte 1) - Who's Nerd?()

  • Lincoln Machado

    Muito bem explicado, eu havia lido apenas partes do Livro, por falta de tempo não consegui todo. Com o seu resumo e assistindo a serie deu pra pegar bem a historia, Continue com o ótimo trabalho amigo.

    • Muito obrigado pelo comentário, @lincoln_machado:disqus .
      Seja bem vindo ao whosnerd.com 😀

  • Stefani

    Muito bom, Pretende fazer o resumo do terceiro livro?

    • Sim Stefani. Pretendo resumir todos os livros, só que como você pôde ver, o resumo por ser bem completo, dá um trabalho colossal. Mas nos acompanhe que cedo ou tarde lançaremos o resumo da Tormenta de Espadas. 😀

      • Hermínio Neto

        Resumir com 1 ou 2 parágrafos por capítulo, na ordem em que os capítulos estão nos livros, daria menos trabalho e sairia mais rápido.

  • Thiago A. Klein

    Agradeço a disponibilidade para fazer esse resumão, ajudou a preparar para o terceiro livro.