E Saint Seiya Omega, até agora em seu 4º episódio, como anda? 10


13 Flares Facebook 3 Twitter 7 Google+ 3 Pin It Share 0 Email -- 13 Flares ×

igor_queiroz_saint_seiya_omega_kouga.23.04

E aí pessoal, quem está acompanhando Saint Seiya Omega eleva o cosmo aí. Passado o momento vergonha alheia pelo comentário anterior, vamos às considerações a respeito do andamento da nova série televisiva baseada na obra original de Masami Kurumada.

E a trilha sonora de Saint Seiya Omega?

Primeiramente, antes de falar do enredo de Saint Seiya Omega, gostaria de falar da trilha sonora. Apesar da trilha sonora de Saint Seiya Omega não ser de se jogar fora, não há como não comparar com a trilha sonora do seu predecessor. E, sinceramente, Seiji Yokoyama (compositor do anime original de Saint Seiya) está anos luz a frente de Toshihiko Sahashi (compositor de Saint Seiya Omega) no que se refere a qualidade musical. A sensação que dá, é que, tirando a  nova versão da clássica Pegasus Fantasy, não existe nenhuma outra música que fique na memória. Pode ser que ainda seja cedo para afirmar isso, mas acho que poucas músicas estão se encaixando no anime.

Como está a qualidade dos traços da animação?

Outro ponto muito criticado pelos antigos fãs da série, é em relação aos novos traços do anime. Enquanto Shingo Araki e Michi Himeno tentaram chegar a algo próximo dos traços de Masami Kurumada na animação original de 1986, Yoshihiko Umakoshi, o ilustrador responsável por Saint Seiya Omega, resolveu seguir um traço mais original, e que invariavelmente caiu no desagrado de alguns fãs da obra original. Críticas como: “Seiya agora usa cachecol” ou “Eram armaduras, agora são colãs” são abundantes em qualquer pesquisa na internet, e devo dizer que até concordo com elas, de certa forma.

igor_queiroz_saint_seiya_omega_soma.23.04

Ok, mas e o enredo? Convence?

Porém, no final das contas, o que fará a existência de Saint Seiya Omega ter valor ou não será o seu enredo, pois é nele que mora(va) a genialidade da obra de Kurumada. O primeiro episódio, como podíamos imaginar, nos mostrou muita pouca coisa, e com ele poderíamos ter apenas uma vaga ideia do que viria pela frente. Agora, em seu 4º episódio, já podemos enxergar melhor o universo de Saint Seiya Omega e, agora, criticá-lo.

Já no segundo episódio, aprendemos mais uma coisa a respeito dos cavaleiros da nova geração, agora cada cavaleiro possui um elemental relacionado ao seu cosmo. Isso foi explicado pelo novo cavaleiro de bronze Soma, da constelação de Leão Menor. Soma tem o cosmo elemental de fogo, e logo convence Kouga a seguir uma jornada em direção à Palaestra, que segundo Soma é onde ele poderá encontrar a deusa Atena.

Logo nesse episódio, após a explicação de Soma a respeito dos 7 cosmos elementais (que são: Água, Fogo, Vento, Trovão, Terra, Luz e Escuridão), um dos minions de Mars aparece para enfrentar os dois cavaleiros de bronze, e após uma batalha dois contra um, Kouga descobre que seu cosmo é do elemental da Luz, considerado o mais forte dos elementais (O RLY?).

igor_queiroz_saint_seiya_omega_yuna.23.04

O terceiro episódio, sem muita enrolação, já mostra a chegada de Soma e Kouga à Palaestra, e assim que chegam são recepcionados pela amazona de Águia, Yuna, que possui o cosmo de Vento. nesse episódio, podemos perceber o respeito que os novos cavaleiros tem com a deusa Atena, mas ao que parece, nem todos sabem que Saori Kido é a reencarnação da mesma, até porque eles acreditam que a deusa Atena encontra-se em repouso em Palaestra (qualquer semelhança com as conspirações do Santuário é mera coincidência).

Outra mudança radical nesse episódio, é a da quebra da regra de que uma amazona não pode andar por aí sem máscara. A regra continua existindo, e funciona da mesma forma que conhecíamos: “Ame àquele que tirou a sua máscara ou mate-o”, mas o que Yuna faz é simplesmente ter a sua máscara arrancada, vencer o adversário e dizer: “Não vou amá-lo, nem vou matá-lo, mas vou viver por aí, toda serelepe sem máscara”, ou seja, ela ligou o foda-se para as regras antigas dos cavaleiros.

E chegamos então ao quarto episódio, talvez o melhor até agora. Nesse, Kouga resolve ir ao santuário afim de descobrir o paradeiro de Saori, mas logo que sai de Palaestra, cruza caminho com Ryuho, atual cavaleiro de Dragão, que fala para Kouga que ele ainda não está preparado. Ryuho possui o cosmo do elemental da água e  é posteriormente apresentado como filho do antigo cavaleiro de Dragão, Shiryu.

igor_queiroz_saint_seiya_omega_ryuho.23.04

Lá pelas tantas do quarto episódio, Ryuho acaba chamando Kouga para um duelo, o que acaba recordando a clássica batalha entre Seiya e Shiryu (mas nem de longe tem a mesma glória), e apesar de Ryuho ser notavelmente superior ao cavaleiro de Pégaso, ele acaba tendo que lutar sério para poder derrotá-lo. Outra curiosidade desse episódio, é descobrir que Shiryu perdeu todos(?!?) os 5 sentidos em uma batalha, o que serve de motivação para que Ryuho busque salvá-lo.

Mas afinal, o que diabos é Palaestra? Bem, até agora Palaestra está parecendo uma instituição responsável por treinar os novos cavaleiros para protegerem a deusa Atena, mesmo que de uma forma bem mais pedagógica, digamos assim.

Ao meu ver, Saint Seiya Omega é bem mais juvenil do que a obra original de Kurumada. Enquanto em Saint Seiya, já víamos litros de sangue jorrando da orelha de Cassios no primeiro episódio, Saint Seiya Omega parece não querer enveredar para essa linha de seriedade. Para falar a verdade, apesar da faixa etária dos antigos cavaleiros de bronze ser igual a dos atuais, graficamente não era nítido para todo mundo que Seiya possuía 14 anos, por exemplo. Já Kouga, se passa facilmente por um moleque de 11 anos (ele tem 13) comedor de sopa de letrinhas.

Eu particularmente gostava muito da violência de Saint Seiya, não a achava gratuita quando criança, e continuo não achando depois de mais de 20 anos. Não sei porque decidiram infantilizar o anime, o Japão não é conhecido pela censura, visto que até em One Piece se vê sangue. Não sei se é muito cedo para achar isso, mas tenho quase certeza que Saint Seiya Omega não vai ter um terço de violência que tinha em Saint Seiya. No entanto, espero estar errado, e ver muitas lutas épicas dignas de uma obra que leva esse nome. Oremos.

  • Acho que muitos fãs do clássico continuaram
    se decepcionando… E eu acho triste fãs que esperam 7 dias só para ver se
    esse novo CDZ lembra o clássico e se atende ao seu gosto pessoal… É
    como querer ir assistir Titanic só por que está em 3D ou porque ganho
    11 Óscar, entende o que eu digo? Estão buscando os motivos errados… Cara,
    tem gente falando que Ryuho deveria ser mais frio, e não parecer frágil como o
    shun! Kra quer argumento mais FAIL que esse?  Como se fosse regra um
    filho ser parecido com o pai, tanto o físico quanto a personalidade, dá para
    levar a serio esses argumentos? Tipo, pra mim seria muito mais interessante
    o contrário, imaginar um filho de shun por exemplo com armadura de
    Andrômeda, mas com personalidade como a do ikki ou mesmo Shiryu? Ele totalmente
    diferente do pai querendo lutar e cair na porrada, seria muito mais interessante
    que uma copia do pai, e o que é pior só para lembrar o clássico. =p

     A galera está reclamando do diferente, e o
    diferente não é tão absurdo e muito menos, ruim para o anime. Eu só dava
    risadas dos argumentos cara, esses caras, ainda acham que o anime está sendo
    feito para eles, e outra, o anime nunca foi feito para nós, esse é o grande
    problema, o anime só é bom quando lembra o clássico? Isso é um absurdo, como
    sempre o problema esta no nome do anime… A questão de a armadura parecer
    roupas coladas, caixa de pandora, como se o anime fosse isso… Ou mesmo os
    traços deixarem as armaduras gays? (…) Isso não é importante para que o anime
    possa ser considerado um anime bom ou ruim.

    Eu confesso que é triste de ler tantos comentários
    negativos de pessoas que parecem que foi atingida na época por CDZ, Saint Seiya
    nunca foi armadura e muito menos caixas de pandora, mas sim amizade, lealdade e
    companheirismo, isso é Saint Seiya. Agora, ler comentários de pessoas que
    claramente não tem idade e que no fundo, nunca achou Saint Seiya foda, dá uma
    dor no ovo esquerdo. E os argumentos não são validos cara, pois eles só se
    baseiam no gosto pessoal… Querem que Ômega vença as lembranças
    da infância e não é essa a proposta.

    Finalmente estão dando mais profundidade na
    historia dos treinamentos e do cosmo energia e seus elementos, algo que sempre
    existiu, mas que nunca teve explicações, Hyoga e Shun e tantos outros usavam
    elementos. Seus golpes podem muito bem sarem implementados e explicados com
    esses elementos,e que mal há nisso. Pelos comentários que li sobre
    Palaestra e por ser uma escola… Falam de Palaestra, mas não pesquisam para
    saber que esse lugar é um lugar de treinamento na Grécia, é triste. Nota-se
    claramente o quanto os Brasileiros amam escola pelos comentários… auhauh. Eu
    espero que as crianças do Japão estejam gostando do anime, pois esse anime e
    todos os que a galera curtem, com sangue ou sem sangue, tem como publico alvo
    as CRIANÇAS, sim cara, é duro para uns, mas essa é a realidade, não somos mais
    crianças. 😉

    • Cara, como é uma obra original, acho que eles tem o total direito de fazerem como quiserem, mas como você mesmo disse, esse post refere-se ao meu gosto pessoal a respeito do anime (O Who’s Nerd é um blog, não um portal de notícias).

      Concordo com quase tudo o que você disse, só não abro mão da violência em Saint Seiya. Isso é uma marca característica da série. E você se engana em achar que estilo Shounen é voltado às crianças. Shounen é voltado aos jovens, que podem porventura englobar crianças também.

      No mais, é isso. Continuo assistindo ao Omega até que algo me desagrade imensamente (ou não). 😀

      • Gabriel Eu mesmo

        Já me desagradou… Me irritou, não pelo fato das roupas ou nada do tipo, mas da trama ser basicamente a mesma (Saori raptada, e ninguem ligando pensando que a Atena está protegida tomando seu leite com pera nas banheiras do templo na Grécia), pelo desrespeito as leis (a menina tira a mascara e então… Nada acontece… Então eu posso sair fazendo oque eu quero do jeito que eu quero que não tem punição? Beleza, falo fi!!), o fato estético me incomodou mas eu aceitei… Agora, eu não aceito mesmo é esse School CDZ… Não o fato da escola, uma academia treinando os Cavaleiros é legal, agora… Uns professores toscos, bullying, aquele tipo de intriguinha besta e o pior, as piores lutas que eu já vi em um anime… Aquela luta do Khouga no torneio foi ridicula. 
        Ah! outra coisa, agora ta surgindo constelação a torto e direito!!! Não sou especialista nem sei dizer qual existe ou não existe, mas eu lembro de ter só 10 cavaleiros de bronze… Hoje tem quantos naquela poha?!
        Não é uma retratação, ou um Re-make, ou um universo alternativo. É uma continuação!
        Não posso começar um filme falando que tem 10 templos sagrados e no outro, sem explicar claramente, ter 200 templos…
        é um exemplo besta eu sei, mas não to gostando mesmo
        A história ta muito fraca, na minha opinião.
        Eu adorei o primeiro episódio, mas do segundo em diante só decepções…
        PS: Antes que falem, não sinto falta das urnas, adorei a ideia da gema. xD

    • Mr_brain_damage

      Cara, pessimo o seu comentario. O problema desse anime é que ele n chega aos pés do original. Ele é uma continuação e por isso deveria manter o mesmo tom.No entanto ele leva a historia pruma High School de Cavaleiros, mostrando aqueles ja batidos temas de aceitação, bullyng, professores xaropes e bla bla bla (alguem lembra do X-men Evolution?). Além disso  temos uma estética horrivel, com armaduras q n são armaduras, traços ben10, e  a falta do sangue q é uma caracteristica marcante do universo de SS. Muito diferente do Lost Canvas q mantem as caracteristicas do Original e ao mesmo tempo se mostra novo. Qt ao q vc falou sobre a personalidade dos personagens, temos q lembrar q eh a constelação q define isso ( como a propria garota fala ao Kouga na cena em q vem as estrelas), logo o filho de shiryu deveria ter a mesma personalidade n por se filho mas sim pq eh o cavalerio de Dragão.
      SSO n tem q lembrar o classico…tem q ser igual ao classico…mas n no roteiro e sim na ambientação e estetica…

  • Diego

    Eles querem entrar nos EUA com a série. Por isso infantilizaram tudo.
    Acredito que se houver uma segunda temporada as coisas melhoram e o traço muda tendo em vista a decepção da grande maioria dos fã.
    Pra mim o que é pior em SS Ômega é a rapidez das coisas. No SS original tinha-se mais tempo para desenvolver todos os enredos.. Enfim, a internet acelerou tudo…

    • Concordo que a intenção dos criadores foi exatamente a de aumentar o número do público alvo, só não acho que tenha sido muito bem executada. Quase toda vez que o mainstream é visado, temos um certo problema de falta de identidade da obra.

  • camila

    Concordo plenamente com igor, gabriel e mr brain damage . kras vcs expressaram tudo o que eu estava pensando sobre essa nova serie e tambem não gostei (por enquanto) de basicamente nada (tirando um coisinha aki e akolá!) dessa nova serie NA MINHA OPINIÃO!!!!!!!!! porque ela não tem carisma falta sangue, suor e rock n’ roll ! não sei ?! falta sei lá; o shingo araki que deus o tenha! o traço “designer” dele era preciso e muito carismatico! quanto a musica, tudo bem vai! O erendo idem! (até porque masami surpevisionou o nascimento da serie) mas esse traço não condiz com SS se pelo menos fosse como saga hades/inferno/elisio! Gostei muuuiiiittttoooo desse blog! gostei desse post tambem, era algo que precisava ver afinal quem é fan adoooora meter o bedelho onde não é chamado fazer o que afinal !!!!!obs.: (já ia me esquecendo cade o ikki e o hyoga minha gente!!!, que aconteceu com eles se desintegraram!!! tá foda pra assistir sem eles que eram tão fodas; porra eles tambem são os principais!!!! E por isso tudo fica nesse misterio ?! chatinho*** isso ! kero logo saber as resposta que ficam nesse novo anime por isso continuo assistindo!)

    • Obrigado @88f8e0087321aca238fc9275ea892085:disqus estamos tentando sempre trazer conteúdo novo e interessante. Seja bem vinda ao fantástico mundo do whosnerd. 😀

  • carlos almeida

    Para nós que assistimos a série clássica, essa nova saga é uma tremenda decepção em vários aspectos. Primeiro, na série clássica os jovens passaram por um treinamento muito rigoroso para se tornarem cavaleiros, agora esses garotos não derramaram uma gota de suor. As batalhas são totalmente sem graça, nem se comparam as da série clássica que tinham muita ação e muito mais violência. Mas o pior de tudo é a escola de cavaleiros. Muita intriga entre os cavaleiros que nem se lembram da sua missão que é proteger Atena. Como o pessoal falou, a série foi adaptada para atender um novo público, mas essa adaptação acabou com todo o encanto da série clássica.

    • @3caf700c7b2e0b5e84747400145fe324:disqus Confesso que não assisto faz tempo, e não estou com aquela empolgação para dar continuidade.