Stephen Fry e Charlie Brooker polemizam sobre conteúdo gay de ME 3 1


8 Flares Facebook 0 Twitter 5 Google+ 3 Pin It Share 0 Email -- 8 Flares ×

igor_queiroz_mass_effect_3_casal_gay.10.04

O ator e autor britânico Stephen Fry e o jornalista também britânico Charlie Brooker, resolveram apoiar o conteúdo gay que está inserido nos jogos da EA e BioWare como Star Wars the Old Republic e Mass Effect 3.

Tudo isso por conta de um grupo de religiosos que resolveu xingar muito no twitter fazer uma carta para EA, exigindo que o conteúdo homoafetivo de seus jogos fossem retirados, pois eles estavam a forçar crianças a se tornarem homossexuais, ou coisa assim (esse galerinha reacionária, em regras gerais, nunca me parece ser boa de argumentos).

Isso fez com que o ator Stephen Fry, (que deve ser conhecido por alguns aqui como o apresentador do programa de TV no filme V de Vingança, que por coincidência também esconde um segredo no armário) twitasse a favor da desenvolvedora de jogos pedindo apoio na petição “Continue lutando contra o lado negro”, sugerindo que o ajudassem a luta contra o ódio anti-gay e o lado negro.

Enquanto isso, o jornalista Charlie Brooker desceu um pouco do salto (Ui!), e resolveu divagar sobre algumas dicas em sua conta do twitter, dizendo que todos os personagens dos jogos da EA deveriam ser gays por um ano, só para contrariar os fiscais de fiofó (como diz o Eli Vieira do BuleVoador), e deveriam começar essa ideia com a franquia FIFA.

Brooker ainda continuou sugerindo em seu twitter que no próximo Modern Warfare era bom ter uma arma gay, que seria melhor do que todas as outras, só para os jogadores serem forçados a usá-la.

Como pode-se ver claramente pela atitude de Brooker, não é só de religiosos anencéfalos que vivem as flame wars. É como diz o velho ditado: “Para dialogar feito um burro, basta ser burro” ─ Autor desconhecido. Não acho que a “solução” de Brooker teria qualquer efeito positivo para os grupos LGBTs, assim como não vejo sentido em proibir personagens homossexuais em um jogo, visto que o jogo já tem classificação etária justamente para possíveis censuras.

Ontem tive uma conversa interessante pelo Facebook com um amigo, onde o mesmo reclamava de alguns diálogos um tanto quanto tendenciosos em Mass Effect 3. Ainda não o joguei, então não posso dar uma opinião concreta, mas penso que a melhor solução seria escolher a sexualidade do seu personagem antes de começar o jogo, e não fazer com que o mesmo “se descubra” durante o jogo. Isso evitaria alguns mal entendidos durante a gameplay de muita gente. E vocês, o que acham disso tudo?

[via Eurogamer]

  • Igor, claramente a estratégia exposta pelo Sr. Brooker só causaria mais ódio e indignação, incusive porque muitos dos movimentos envolvidor provavelmente nem apoiassem este tipo de contra-ataque. Mas isso revela algo mais preocupante, é que vivemos de uma forma mais subjetiva em zona de tensão. Tudo é motivo para guerra, para movimentos prós e contras.

    Querem mudar os finais dos jogos, querem ditar uma moral sobre PRODUTOS(?!). Todo bom marketeiro sabe o fundamental que é escutar o seu público, algo que pode matar o seu produto ou torná-lo um sucesso. Também não concordo com a solução de selecionar a sexualidade do seu personagem no início do jogo. Afinal você escolhe antes de assistir a um filme? a um seriado? você muda a forma do peão de uma partida de xadrez por que ele é fálico ? A natureza narrativa do Mass Effect não chega a ser uma da Bethesta, logo não faz sentindo CERTAS mudanças. Sem dizer que vivemos em um mundo tão perfeito que logo teria um servidor lotado de marmanjos jogando com lésbicas, bem maduro, não?

    Os grupos religiosos perderam o sentido quando o progresso está caminhando e eles já não sabem mais para quem se voltar, o fundamentalismo em sua essência é ciumento e vingativo – quando acuado por sua própria absolescência toma as atitudes mais idiotas possíveis. E tem tanta outras problemas no mundo como miséria e ódio para se preocuparem.

    E outra, a galera do beicinho – mimimi – são adultos frustrados, sempre vão querer ser mimados. Se o o roteirista acredita que o personagem dele é homossexual, PONTO, ele vai ser sem concessão; não empobreça  a arte pelas mentes miúdas, isso é regredir a humanidade por conta de um bando de idiotas. Você sabia que houve manifestações e movimentos CONTRA A VACINAÇÃO? imagina se tivessem se curvado diante destas mentes retrogradas.

    Crianças? a trama do Mass Effect é um pouco mais complexa do que uma criança poderia compreender, sem dizer que já existe a faixa classificadora para o jogo, se o seu filho não está nela e está jogando o jogo, parabéns pela sua incompetência como pai/mãe.

    Mass Effect deveria ser um bom recado: CRESÇA! o mundo é muito maior que o seu quarto. Existe diversas vidas e formas de se viver. Caso prefira não fazê-lo, ótimo…esse botão aí ao lado é o EJETAR.