Tem na Fotografia: Contagem Regressiva para a chegada da Olympus EM-5


6 Flares Facebook 0 Twitter 4 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- 6 Flares ×

helosa_araujo_olympus_om_d_em_5_prata_01.30.03

Sempre que faço os posts pra Sexta, sobre os lançamentos das câmeras, fico empolgada com as novas características e tecnologias que estão chegando. É legal também ficar acompanhando essa evolução e aproveitar para comparar. “Essa tem, aquela não tem, aquela faz, essa não faz” e eu adoro isso. Acho que todos nós gostamos disso, né? De conhecer e especular novas possibilidades, principalmente quem é da área da fotografia, que já começa a se divertir quando vai escolher sua primeira câmera fazendo todas essas comparações até chegar em um denominador comum.

Essa é mais uma mirrorless, e não há nada nela que vocês não conheçam ou não tenham lido a respeito antes, e no entanto ela reúne características que juntas a tornam uma câmera e tanto. E ainda mais pelo seu formato (uma câmera pequena com grandes qualidades) que já traz consigo possibilidades diferentes.

helosa_araujo_olympus_om_d_em_5_prata_02.30.03

O que antes estávamos acostumados com câmeras pequenas e ok, agora podemos falar que tamanho (ao menos na fotografia) não é documento. Essa traz, além de um estilo retrô (a primeira da linha OM-D), uma ótima qualidade na imagem (16 MP com um sensor Micro Quatro Terços), com a possibilidade de captura de até 9 imps, 35 pontos de foco automático, gravação de video full HD e panorâmica em 3D.

A nova Olympus EM-5 chega no mercado americano por um preço “acessível” de US$ 1,3 mil.

Veja mais detalhes sobre a câmera também no Tem Na Fotografia.


Sobre Helosa Araújo

Graduada em Publicidade e Propaganda e especialista em Moda e Comunicação pela Universidade de Fortaleza, eterna estudante e pesquisadora (tendo como principais temas a fotografia, sociedade, cultura e etnias) e dona do blog Tem Na Fotografia. Teve seu primeiro contato com a fotografia (propriamente dita) em 2005 e depois de trabalhar em vários setores da comunicação se entregou aos clicks em 2007 e hoje não sabe ver uma cena sem um determinado olhar crítico pensando em uma forma de enquadrá-la. Profissionalmente falando, Helosa vivia dividida entre várias categorias da fotografia, passeou como freelancer pela fotografia Social, de Moda, Publicitária, Newborn e Documental, hoje, repórter fotográfica do jornal Diário do Nordeste tenta cumprir o seu papel de comunicadora visual usando a fotografia como sua principal ferramenta.