Mestres da Indústria de jogos: Yasunori Mitsuda


13 Flares Facebook 2 Twitter 9 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- 13 Flares ×

igor_queiroz_yasunori_mitsuda_color_of_light_topo.03.04

Qual é a semelhança entre Xenogears, Chrono Cross e Xenosaga Episode I: Der Wille zur Macht? Além do excelente enredo, Yasunori Mitsuda é o nome que se dá àquele que trouxe a todos esses jogos uma excelente trilha sonora. Pois o Mestres da Indústria de jogos de hoje será sobre ele, o compositor de jogos predileto, na minha nada humilde opinião. Da próxima vez prometo que falo sobre alguém não envolvido com a parte musical dos jogos. Sério!

Yasunori Mitsuda: O começo de tudo

Mas afinal, quem é Yasunori Mitsuda? Yasunori é um quarentão japonês, que nasceu em 21 de Janeiro de 1972 e que cresceu no distrito de Kumagi, Yamaguchi. Nem sempre ser músico foi o sonho de Mitsuda. Apesar de ter começado a ter aulas de piano aos 5 anos, o desejo dele era voltado aos esportes, mais precisamente o Golf, e foi por isso que aos 6 anos ele largou a música.

Foi apenas no ensino médio que ele voltou a se interessar por música, inspirado pelas trilhas sonoras dos filmes Blade Runner e A Pantera Cor de Rosa. E após assistir Railman, ele decidiu se tornar um compositor. Além disso, ele também se interessou por PCs depois que o seu pai trouxe um para ele. Naquela época PCs eram raros, e foi aí que ele começou a programar jogos e criar composições para os mesmos. A partir daí, ele começou a ter aulas mais técnicas voltadas a música.

Após terminar o ensino médio, Mitsuda decidiu sair da cidade e ir morar em Tóquio, apoiado pelo seu próprio pai. E foi lá que ele deu início a sua vida universitária na Junior College of Music. E apesar do baixo prestígio da escola, Mitsuda teve sólidas instruções dos seus professores.

Quando o curso estava próximo do fim, Mitsuda viu um anúncio para produtor de som na Square em um edição da Famitsu, revista japonesa renomada. Sem muito saber o que ele queria depois de terminar o curso, ele resolveu se inscrever para a vaga. Mitsuda então mandou uma música demo que fez com que ele ganhasse uma entrevista na empresa. Aqui vem a parte engraçada, Mitsuda descreve essa entrevista como desastrosa. Quando ele foi entrevistado por Nobuo Uematsu e o programador de som Minoru Akao, ele falou que só se queria o emprego como uma “escada” em sua carreira, e que nunca tinha jogado nenhum dos grandes jogos da Square, como a série Final Fantasy por exemplo. Mesmo assim, acabaram oferecendo a posição a ele em Abril de 1992.

igor_queiroz_yasunori_mitsuda_02.04.04

A gloriosa carreira do mestre Mitsuda

Mitsuda, apesar de ter sido contratado como compositor de jogos, acabou passando os dois primeiros anos de sua carreira trabalhando como engenheiro de som, fazendo efeitos sonoros para as franquias Hanjuku Hero, Final Fantasy V, Secret of Mana e Romancing SaGa 2. foi em 1994 que Mitsuda percebeu que só conseguiria subir na carreira e sair da situação de baixo salário com uma atitude mais enérgica, e foi exatamente isso que fez com que ele desse o ultimato a Hironobu Sakaguchi dizendo que caso não lhe dessem uma atribuição como compositor, ele sairia da empresa. Sakaguchi então deixou Mitsuda como único encarregado da trilha sonora de Chrono Trigger dizendo a seguinte frase: – “Depois de você terminar isso, talvez o seu salário aumente”.

Com essa incumbência, Mitsuda chegou a trabalhar até a exaustão, chegando inclusive a ser hospitalizado por ter adquirido uma úlcera no estômago por conta do estresse. Apesar do grande esforço e de ter feito 54 composições de Chrono Trigger, ele não chegou a terminar todas as faixas do jogo, acabando por deixar Nobuo Uematsu acabar as últimas 10 composições do jogo, onde acabou tendo ajuda de Noriko Matsueda para acabar uma delas.

Devido ao excepcional trabalho de Yasunori Mitsuda em Chrono Trigger, o mesmo foi chamado para compor a trilha sonora de Front Mission: Gun Hazard, mais uma vez com a ajuda de Uematsu. E novamente o tio Mitsuda trabalhou até a exaustão, dessa vez chegando até mesmo a defecar sangue por conta de estresse e problemas físicos. SÉRIO!

Depois desse trabalho, Mitsuda ainda trabalhou no jogo de luta da Square, Tobal 1 e também na visual novel baseada em texto chamada Radical Dreamers, esse último que era uma história a parte no universo da série Chrono, que futuramente iria servir de inspiração para a criação de Chrono Cross.

Foi então, que em 1998, Mitsuda assumiu a responsabilidade de criar a trilha sonora de um dos melhores JRPGs que se tem notícia, Xenogears, btw. E vou lhes contar, das trilhas sonoras criadas pelo tio Mitsuda, essa é sem dúvidas a minha favorita. As composições de Xenogears são muito, mas muito variadas mesmo. Tendo inclusive uma canção cantada no final do jogo chamada “Small Two of Pieces“, cantada pela competentíssima Joanne Hogg. Após esse trabalho, Mitsuda deixou a Squaresoft para trabalhar como freelancer.

igor_queiroz_yasunori_mitsuda_e_outros_mestres.04.04

Mesmo tendo saído da Square, Mitsuda ainda trabalhou como freelancer em outro grande jogo da empresa, Chrono Cross, que mais uma vez trouxe toda a excelência do trabalho de Mitsuda em composições memoráveis, garantindo a Mitsuda a honraria de ter a sua composição “Time’s Scar” como a melhor composição para videogames de todos os tempos em 2011.

Além desse trabalho Mitsuda ainda fez as composições de Xenosaga Episode I: Der Wille zur Macht (o sucessor espiritual de Xenogears), Shadow Hearts e Luminous Arc. O último trabalho de Mitsuda foi em Xenoblade, jogo de 2010 que ganhará uma versão norte americana agora no dia 06 de Abril de 2012.

Além da carreira como compositor de jogos, Mitsuda em 2001 fundou o Procyon Studio, que inicialmente teve Yasunori Mitsuda como único compositor e alguns produtores de som, e depois passou a ter alguns funcionários a mais, e dentre eles outros compositores. Mitsuda e o Procyon Studio também criaram os álbuns Sailing to the World e Colours of Light. O estúdio ainda programou o KORG DS-10, um programa de sintetização para Nintendo DS.

Já falei do mestre Yasunori Mitsuda aqui pelo Who’s Nerd? algumas tantas vezes, mas finalmente consegui tempo para falar com mais propriedade sobre ele que, na minha nada humilde opinião (again!), é o maior compositor de música para jogos de todos os tempos.

Espero que tenham gostado, porque o próximo post finalmente será sobre um Game Designer.

[fonte Wikipedia (com as devidas verificações das referências)]