Certifique-se de assistir: Os homens que não amavam as mulheres


3 Flares Facebook 0 Twitter 2 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- 3 Flares ×

helosaaraujo_os_homens_que_nao_amavam_as_mulheres_topo.27.02

Mais um filme que o Who’s Nerd?  foi assistir sem muitas pretensões. Estamos nos acostumando a não ler as críticas antes de assistir os filmes, e estamos sendo mais felizes nessa decisão. Escutamos apenas os amigos! E este foi mais um filme feliz (claro, no sentido da obra e produção). Dirigido por David Fincher e com um roteiro de Steven Zaillian, prende atenção do começo ao fim não só pelas cenas e efeitos, mas também pelo seu conteúdo.

Sinopse

Harriet Vanger é uma jovem herdeira de um império industrial que some durante um evento da família deixando muitas dúvidas e intrigas. Desde então, Henrik Vanger (o patriarca da família) não desistiu de desvendar o mistério ocorrido há 40 anos, contratando Mikael Blomkvist, um jornalista que está passando por um momento difícil da sua vida, para desvendar o caso e que se junta a Lisbeth Salander, uma investigadora anti social, problemática e fora do normal mas que resolve seus problemas e executa seu trabalho de forma mais do que eficiente.

Elenco: Daniel Craig, Rooney Mara, Christopher Plummer, Stellan Skarsgård, Steven Berkoff.

Um filme intrigantemente bom e envolvente ao extremo (assim, bem exagerado). É um daqueles filmes que precisamos assistir mais de uma vez para poder analisar sem envolvimentos emotivos. Sem contar que passamos por todo tipo de sentimento no decorrer do filme: angústia, pena, raiva, tristeza, felicidade, orgulho e etc. Aborda um tema que não deixa de fazer parte da nossa realidade social (que vemos todos os dias nos jornais) dentro de um cenário fictício (uma ilha obscura de posse da família suíça Vanger) e personagens sombrios e misteriosos.

helosaaraujo_os_homens_que_nao_amavam_as_mulheres_poster.27.02

Indicado a 4 óscares, trata-se de uma trama fechada com começo, meio e fim bem definidos e um roteiro bem adaptado (obra original literária escrita pelo sueco Stieg Larsson) é a primeira parte da trilogia lançada com o nome The Girl with the Dragon Tattoo. E é o que me deixa mais conformada após sofrer o trauma de um The End “mal resolvido”, mas se tratando de uma trilogia, é fantástico! Agora é só esperar o próximo!


Sobre Helosa Araújo

Graduada em Publicidade e Propaganda e especialista em Moda e Comunicação pela Universidade de Fortaleza, eterna estudante e pesquisadora (tendo como principais temas a fotografia, sociedade, cultura e etnias) e dona do blog Tem Na Fotografia. Teve seu primeiro contato com a fotografia (propriamente dita) em 2005 e depois de trabalhar em vários setores da comunicação se entregou aos clicks em 2007 e hoje não sabe ver uma cena sem um determinado olhar crítico pensando em uma forma de enquadrá-la. Profissionalmente falando, Helosa vivia dividida entre várias categorias da fotografia, passeou como freelancer pela fotografia Social, de Moda, Publicitária, Newborn e Documental, hoje, repórter fotográfica do jornal Diário do Nordeste tenta cumprir o seu papel de comunicadora visual usando a fotografia como sua principal ferramenta.