Mangás da semana: Bleach 594


10 Flares Facebook 6 Twitter 3 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- 10 Flares ×

bleach #594 01Há quem creio na teoria científica de que acompanhar o mangá de Bleach é o mesmo que praticar a fina arte do masoquismo. Bem, só posso dizer que não é das tarefas mais prazerosas ter que ler quase toda semana essa putcharia que virou o mangá de Bleach, mas como já são anos e anos dedicados a obra de Kubo Tite, acho que nada mais justo comigo do que acompanhá-la até o final só para então declarar, oficialmente e em alto e bom tom: Mas que grande b$#!a hein? Enfim, como é de praxe avisar antes de tudo, HAVERÃO SPOILERS!

Bleach 594 – Rubb-Dolls

O capítulo dessa semana de Bleach me deixou com um gosto amargo de WTF?!? no final do mesmo, e para não nos apressarmos quanto aos acontecimentos (mas definitivamente sem a necessidade de descrever detalhadamente o que ocorreu), vamos por partes.

 

Inicialmente, pelo que dá para entender, o Mayuri paralisa o capitão Hitsugaya com a sua zanpakutou, para então inserir nele uma droga experimental. O zumbi falante ainda tenta espernear e xingar muito no twitter, mas no final das contas não faz nada mais do que dar aquela sensação de vergonha alheia. Shame on you, Toushirou. A droga, obviamente, parece produzir uma dor dos infernos (ou do Hueco Mundo), e provavelmente após escutar os gritos do capitão Hitsugaya, chega mais uma tropa inútil de shinigamis com cara de tacho zumbificados, sendo eles a vice capitã Matsumoto e os capitães Kensei e Rose (que só “lembrei” dos nomes graças a uma ferramenta chamada Bleach Wiki). Para não estragar o seu “experimento”, Mayuri pede que os seus próprios minions Arrancars deem conta dos intrusos, e aí se encerra o blá blá blá desse lado da batalha.

 

A próxima cena nos mostra um certo suspense desnecessário onde o capitão Byakuya é mostrado sem muitos detalhes, assim como alguns dos lacaios dos Wandenreichs (obrigado Bleach wikia, mais uma vez) aparecem devidamente detonados (três para ser exato). Daí outras duas combatentes dos Wandenreichs ficam de conversa fiada (como sempre, êta personagens nada carismáticos esses que o Kubo cria) e chegam a comentar sobre um tal Pepe, que deveria estar ali para dar uma mãozinha contra o capitão shinigami. Então aparece o vice capitão Hisagi contando vantagem de um Wandenreich que ele mesmo derrotou, para só então ser atacado pelo próprio capitão Kuchiki que percebe que ou ele é um impostor, ou está sendo controlado. Bem, no final das contas é a segunda opção, e mais um personagem bizarro é inserido (ao menos eu não lembro dele, se já houver aparecido me desculpem pela total falta de interesse de lembrar de todos os 1500 personagens inúteis que o Tite cria), que é o tal do Pepe, um dos Sternritters (sério, eu te amo Bleach wikia). No final das contas ele acaba controlando uma das garotas Wandereich, fazendo com que ela dê um belo soco no rosto da outra, acabando por falar qualquer coisa desinteressante que deve ter parecido legal pro Kubo Tite. Enfim, foi isso.

 

Minhas considerações sobre esse capítulo e o que poderá vir a frente são: Depois de um capítulo #593 muito mais ou menos, esse Bleach 594 simplesmente veio para mostrar que quando se trata de fazer uma história intrigante, envolvente, emocionante, você pode pedir para qualquer pessoa escrevê-la, menos o tio Kubo Tite. Pelo visto, tomando como exemplo aquele último personagem bizarro que lutou contra o Abarai Renji e mais outros shinigamis (o cara da luta livre com estrela), teremos mais alguns capítulos desperdiçados com um personagem totalmente descartável e desagradável. Parabéns Tite. Continue assim. Um abraço.

bleach #594 02