Mangás da semana: Bleach 593


8 Flares Facebook 4 Twitter 3 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- 8 Flares ×

bleach #593 01

Já faz um tempo que venho ponderando a possibilidade de criar uma sessão no Who’s Nerd? onde eu possa fazer as críticas dos capítulos semanais dos mangás que venho lendo, e confesso que hoje, mais precisamente devido ao capítulo 757 de One Piece, essa vontade deixou de ser apenas uma vontade e passou a ser uma necessidade incontrolável. Devo dizer, antes de mais nada, que acompanho há alguns anos o excelente trabalho do Thiago Machuca no blog Portallos e o seu famigerado Conversa de Mangá, e não há nenhuma intenção da minha parte de plagiar o seu conteúdo, apenas decidi transformar uma atividade semanal de leitura minha em algo produtivo para o whosnerd.com, e tenho certeza que isso agregará bastante valor ao nosso espaço. Como não pretendo analisar os capítulos passados, caso você não conheça o trabalho do Thiago, aconselho a dar uma olhada, vale a pena, e se por acaso você o acompanha, agora terá sempre a oportunidade de ver duas opiniões distintas sobre o mesmo assunto. Agora chega de conversa e vamos ao que interessa, que no caso, é o capítulo de número 593 do mangá Bleach. Antes que eu esqueça, HAVERÃO SPOILERS.

Bleach 593 – Marching out the ZOMBIES 4

O capítulo dessa semana começa exatamente de onde parou o anterior, que no caso é no embate entre o capitão da 12ª divisão do Gotei 13, Kurotsuchi Mayuri e a versão não-morta-mas-ainda-assim-zumbi do capitão da 10ª divisão, Hitsugaya Toushirou. A essa altura do campeonato, acho que é desnecessário falar o quão arrastada está essa saga de Bleach. Se por um lado os traços do Kubo Tite são realmente bem feitos e trabalhados, por outro lado o seu senso de aproveitamento de páginas é ridiculamente precário, nos trazendo quase sempre muitos closes e cenas de ação em grandes quadros, e se preocupando muito pouco com o desenvolvimento da trama em um ritmo mais saudável. Com essas características, é quase impossível trabalhar com tantos personagens em uma história que se desenvolve a passos lentos, quase parando. Dito isso, voltando ao capítulo, temos dois personagens não muito carismáticos (apesar de lá no Japão o Hitsugaya ter um apelo forte aos fãs) se confrontando desnecessariamente enquanto o desenrolar dessa história dos quincys rebelados deveria ser o foco, assim como mostrar mais uma vez a evolução do protagonista de uma técnica só (Getsuga Tenshou, estou olhando para você).

 

Logo no início do capítulo, Mayuri afirma ter algumas drogas que ele gostaria de experimentar no capitão Hitsugaya, tudo isso em prol do Sereitei, é claro. O Toushirou por sua vez não dá muito espaço para o falatório do capitão esquisitão e já parte para o combate zanpakutou contra zanpakutou. Depois de atacar Mayuri inúmeras vezes sem sucesso, o próprio capitão Mayuri explica o que se passa, afirmando ter instalado na sua própria zanpakutou (ashisogi jizou) um sensor capaz de atrair para sua direção qualquer lâmina que esteja há 60 centímetros desse mesmo dispositivo. Essa explicação faz com que o capitão Toushirou tente atacá-lo com uma joelhada, ao passo que o capitão Mayuri defende-se com algum outro artefato explosivo esquisito (que provavelmente seja o ponto chave para o desenrolar desse capítulo 593).

 

A partir daí o capitão Hitsugaya se defende de um ataque direto do Mayuri e pronuncia suas primeiras palavras desde que apareceu como zumbi: Bankai! Daiguren Hyourinmaru!. E logo em seguida, aparentemente sem muitas dificuldades, acaba ceifando a vida do incauto capitão Mayuri. Bem, aparentemente, já que no quadro seguinte vemos o próprio capitão Mayuri falando mais uma vez gostaria de testar umas drogas no capitão da 10ª divisão. Nesse exato momento foi inevitável lembrar de Naruto e de uma certa Genjutsu que o Itachi utilizou no Kabuto (digo certa, por que confesso não lembrar do nome 😀 ). Depois disso acontece o óbvio, Hitsugaya começa a ficar enfurecido, utiliza mais uma vez um Bankai, mata mais uma vez o seu oponente, só para dar de cara com a mesma cena do início do capítulo. Tudo isso regado de explicações exageradas do Mayuri a cada iteração sobre como funciona essa técnica. Fora a explicação pseudo científica, a situação de Hitsugaya é simples: a) Se ele não matar o capitão Kurotsuchi, ele ficará sobre o efeito da droga indefinidamente. b) Se ele matá-lo, voltará para aquele exato momento onde o loop começou. A problemática aqui, é que a cada iteração os efeitos colaterais vão ficando cada vez mais fortes, até chegar ao momento em que ele entrará em colapso e ficará imobilizado por 30 segundos. O capítulo então se encerra com o Mayuri fazendo o seguinte questionamento: – A questão é, quando foi que eu injetei a droga em você?. Questionamento esse seguido de um levantar de zanpakutou e um suspense no ar.

 

Minhas considerações sobre esse capítulo e o que poderá vir a frente são: Acho pouco provável que Mayuri (entenda-se Kubo Tite) seja capaz de matar o capitão Hitsugaya, o personagem é hypado demais lá no Japão para simplesmente morrer tão miseravelmente assim. Houve uma época em que era prazeroso ler os capítulos semanais de Bleach. Não mais. Hoje é uma questão de honra continuar lendo-os até ver chegar ao seu sofrido final (que já deveria ter chegado há anos).

bleach #593 02