Fausto Fanti, do Hermes e Renato, morre aos 35 anos. 2


13 Flares Facebook 7 Twitter 3 Google+ 3 Pin It Share 0 Email -- 13 Flares ×

fausto fanti blondie hammetÉ com muito pesar que venho trazer essa notícia aqui no Who’s Nerd?, pois apesar de não escrever muitos textos a respeito de assuntos humorísticos, a verdade é que Hermes e Renato influenciou positivamente o humor que carrego para a minha vida. Aquele humor nonsense, escrachado, que começou com pequenas vinhetas lá no finalzinho da década de 90 na saudosa MTV Brasil (saudosa porque confesso que faz muito tempo que não a assisto), e que logo passou a ser um programa regular na mesma emissora psicodélica.

Apesar do nome Hermes e Renato, o grupo era composto por muito mais do que Marcos Antônio Alves, o Hermes, e Fausto Fanti, o Renato. Junto a eles, estavam outros integrantes como: Adriano Pereira, Bruno Sutter, Felipe Torres e, por um certo tempo, Gil Brother (o eterno Away). Por longos 10 anos eles permaneceram na MTV, sempre com aquele humor satírico/pastelão/negro característico, para então no ano de 2010 irem para a Record para o programa Legendários do também ex-MTV, Marcos Mion, sob um novo nome de “Banana Mecânica“. Se a atitude do grupo foi acertada ou não, o que importa é que em 2013 eles (com exceção do Felipe Torres – o Boça) voltaram a sua emissora de origem, e por mais breve que tenha sido, voltaram a ter a liberdade humorística que caracterizava o grupo. No mesmo ano adquiriram os direitos sobre a marca Hermes e Renato, e já no ano seguinte foram para a FX Brasil.

Aparentemente tudo ia bem para a carreira de  todos, tudo estava indo muito bem, mas a vida é, verdadeiramente, uma caixinha de surpresas, e nessa tarde nebulosa de Quarta Feira, dia 30 de Julho de 2014, Fausto Fanti foi encontrado morto, com um cinto amarrado ao pescoço preso ao box do banheiro do seu apartamento no bairro de Perdizes, grande São Paulo. Ainda segundo a notícia, quem encontrou o corpo dele foi o amigo e colega de trabalho, Adriano Pereira (o Joselito). Fausto Fanti estaria se separando da mulher, Karla, e tinha uma filha de oito anos. Tudo leva a crer que o ocorrido foi um caso de suicídio, o que faz da notícia mais trágica ainda, pois acabamos por esperar de quem faz humor, estar sempre de bem com a vida, e imune a qualquer tipo de depressão. É realmente muito triste ver alguém tão jovem e tão talentoso partir prematuramente desse jeito, e só nos resta lamentar a perda de um profissional do humor tão querido.

No final, fica apenas o desejo de que ele tenha encontrado a paz que estava procurando.

[via UOL]

  • Bruno Collyer

    “Ouvi uma piada uma vez: Um homem vai ao médico, diz que está deprimido.
    Diz que a vida parece dura e cruel. Conta que se sente só num mundo
    ameaçador onde o que se anuncia é vago e incerto. O médico diz: ‘O tratamento é simples. O grande palhaço Pagliacci está na cidade, assista ao espetáculo. Isso deve animá-lo’. O homem se desfaz em lágrimas. E diz: ‘Mas, doutor… Eu sou o Pagliacci.’ Boa piada. Todo mundo ri. Rufam os tambores. Desce o pano.”

    • Bem isso mesmo. Da mesma forma que em Watchmen eles falam: “Quem vigia os vigilantes?”, fica a pergunta: Quem fará o palhaço rir?