Chroma Squad recebe ultimato do estúdio de Power Rangers


9 Flares Facebook 3 Twitter 5 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- 9 Flares ×

chroma squad power rangers sabanPara os que não sabem, Chroma Squad é um jogo criado pela desenvolvedora independente Behold Studios, desenvolvedora essa genuinamente brasileira e potencialmente uma das mais bem sucedidas da nossa República das Bananas. Como diria o tio Ben, “grandes poderes trazem grandes responsabilidades“, ou em uma versão alternativa do tio Who’s Nerd?grandes sucessos, trazem atentos olhares gananciosos“, e é exatamente sob essa perspectiva que a Behold Studios recebeu um ultimato por parte da Saban, a empresa detentora dos direitos autorais do super sentai Power Rangers.

Segundo o site Game Informer (que por sua vez obteve informações do site USGamer), a empresa indie brasileira recebeu um ultimato onde deveria escolher entre ceder parte dos dividendos a Saban ou então preparar seus melhores advogados para uma tediosa batalha judicial. Caso vocês não saibam, Chroma Squad trata-se de um jogo tático no melhor estilo Final Fantasy Tactics ou Tactics Ogre para os mais vividos, e conta com uma equipe de atores representando os famigerados heróis de Super Sentai. Não precisa ser nenhum gênio para perceber que a Saban está nitidamente tentando faturar uns trocados às custas de uma ideia inovadora, que de nenhuma forma foca nos heróis da sua propriedade intelectual, mas sim numa paródia de um gênero japonês consagrado muito antes do primeiro episódio de Power Rangers ir as televisões mundiais.

Chroma Squad é sobre humor, super sentai e muita criatividade, e não sobre Power Rangers (ao menos por enquanto, né?)

De qualquer forma, ao que parece, o pessoal da Behold Studios resolveu encarar o que teoricamente seria negativo, como uma oportunidade, levando em conta o poder de merchandising que eles podem adquirir instantaneamente fazendo uma parceria com a Saban, uma empresa bilionária e conhecida mundialmente. Mesmo que se de fato eles decidissem ir para a corte e ganhassem a causa, o desgaste intelectual e financeiro poderia ser maior do que o benefício de ter uma parceria com uma empresa desse porte. Assim que soubermos mais novidades sobre essa novela da indústria de jogos, traremos notícias. Esse que vos escreve está na torcida para que tudo dê certo para os compatriotas da Behold Studios, que já provaram com o Knights of Pen & Paper que entendem do negócio e fazem jogos por amor.

[via Game Informer]