Capitão América 2: O Soldado Invernal, a análise


7 Flares Facebook 2 Twitter 4 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- 7 Flares ×

capitão américa 2: o soldado Invernal 01 2014 04 19Capitão América 2: O Soldado Invernal é sensacional. Antes de ir direto ao assunto, gente como fazia tempo que não assistíamos – o Sr. Who’s Nerd? e eu – a um filme em semana de estreia, e nossa, como faz diferença! Toda a atmosfera já colabora para que o filme seja melhor do que ele é. Nem a rapaziada que sentava atrás de nós – que, diga-se de passagem, falava pelos cotovelos – atrapalhou meu envolvimento com o filme, e claro, em uma perfeita companhia, só tinha tudo para ter um momento perfeito. Pois é, esse não é um daqueles textos que vêm com um MAS em seguida, a segunda parte da saga do Capitão mais carismático, invencível e belo – para as meninas, ou não, não sei – é uma produção cinematográfica belíssima de se ver.

Para quem assistiu todos os filmes que seguem as histórias da Marvel, conseguiu captar, ao menos um pouco, toda a trajetória dos atuais heróis favoritos. Caso você não tenha assistido todos os outros episódios de Thor: O Mundo Sombrio (Thor: The Dark World) e Homem de Ferro 3 (Iron Man 3), por exemplo, você vai até entender o filme, mas muita coisa você não vai entender na íntegra.

Essa ligação toda que a produção da Marvel Studios conseguiu gerar usando alguns pontos históricos dos quadrinhos – ou não – não só consolida e movimenta todos os filmes da Marvel, aumentando sua renda e da indústria cinematográfica, como também acaba provando mais a capacidade do espectador do puro entendimento fictício. Todos adoram sair dos filmes desses super heróis favoritos e perceber como entenderam as cenas pós créditos, e não só as pós créditos, mas as referências com os outros personagens, que nem fazem parte daquela história, mas, acaba sendo envolvido.

Em Capitão América 2: O Soldado Invernal, trouxe isso à tona de uma forma fantástica. Antes eram apenas pequenas referências, agora, elas fazem parte do contexto de uma forma tão forte que chegam, inclusive, a fechar a trama da história. Sem querer ser redundante, mas, para não ser incoerente, afirmo: Sim, você continua entendendo – não com toda propriedade – se você não tiver assistido a todos os episódios dos heróis Marvel, inclusive Os Vingadores (The Avengers), mas, porém, contudo, todavia, indico que assista, todos.

capitão américa 2: o soldado Invernal 02 2014 04 19Seguindo a diante. Outro tópico, que também é característica dos últimos filmes dessa categorias – HQ’s movie – , mas que nesse, particularmente – por conta da própria história do Capitão América – ficou mais nítido: são as relações com a realidade. Que trazem alguns comportamentos do herói para críticas sociais de forma realista. Em se tratando de um soldado como Steve Rogers (Chris Evans) que lutou na segunda guerra mundial, e passou muito tempo congelado, parado, literalmente, no tempo, ser acordado somente nos tempos atuais, é ainda um atrativo maior para fazer brincadeiras e jogos de comparação com um super herói e as atualidades, não acha?

E para completar com chave de ouro, James Bucky Barnes (Sebastian Stan), o fiel parceiro de Steve Rogersentra na trama e de forma marcante como o Soldado Invernal, não é de qualquer jeito. O personagem passa de melhor amigo a principal vilão. Além daqueles velhos clichês que todos gostam de assistir, Bucky dá personalidade e enraíza a história do Capitão, que até então, tinha todos os seus conhecidos mortos. Bom, não é só o Bucky fará parte da trama, como também o Falcão, alter ego de Sam Wilson (Anthony Mackie) que, na história HQ foi o primeiro afro americano a participar do time dos Vingadores. Aproveitando a deixa dos comentários sobre as relações de Rogers com outros personagens, não posso deixar de comentar que sua relação com a Viúva Negra (Scarlett Johansson) foi, bem…prefiro não comentar.

capitão américa 2: o soldado Invernal 03 2014 04 19Espero não ter “falado” demais, tentei dosar ao máximo para não “spoilar” vocês. Como fã de pancadaria heróica, ainda mais quando se trata de personagens criados muito antes de nascermos, com sentidos históricos –  como é o caso do Capitão América – fiquei bem contente com essa segunda parte do enredo desse personagem e seus amigos. Penso que, diferente do primeiro – que teve mais história – esse não deixa a desejar em conteúdo nem em porrada inteligente. Resumindo: só serviu para me deixar ansiosa para ver o terceiro episódio do Capitão América e Os Vingadores 2.


Sobre Helosa Araújo

Graduada em Publicidade e Propaganda e especialista em Moda e Comunicação pela Universidade de Fortaleza, eterna estudante e pesquisadora (tendo como principais temas a fotografia, sociedade, cultura e etnias) e dona do blog Tem Na Fotografia. Teve seu primeiro contato com a fotografia (propriamente dita) em 2005 e depois de trabalhar em vários setores da comunicação se entregou aos clicks em 2007 e hoje não sabe ver uma cena sem um determinado olhar crítico pensando em uma forma de enquadrá-la. Profissionalmente falando, Helosa vivia dividida entre várias categorias da fotografia, passeou como freelancer pela fotografia Social, de Moda, Publicitária, Newborn e Documental, hoje, repórter fotográfica do jornal Diário do Nordeste tenta cumprir o seu papel de comunicadora visual usando a fotografia como sua principal ferramenta.