Homem é preso ao “compartilhar” mangá de Berserk na internet


16 Flares Facebook 5 Twitter 10 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- 16 Flares ×

igor_queiroz_manga_de_berserk.2014.02.11Se você, assim como eu e um grande número de aficionados por mangás, que moram aqui no ocidente e sentem a necessidade de acompanhar as obras japonesas quase simultaneamente aos capítulos que são lançados por lá, é com uma taxa de acerto de 99% que eu aposto no seu consumo do que é conhecido como scans de mangás, o que os tornam muitas vezes ilegais, se porventura existir alguma publicadora daquele mesmo mangá no país onde você reside. Não é a toa que muitos sites especializados de scans ou deixam de publicar os títulos licenciados geralmente nos Estados Unidos, ou em alguns casos, publicam apenas os três ou quatro últimos títulos até que os mesmos sejam apagados dos seus servidores dando lugar aos capítulos mais novos. Óbvio que aqui eu dei ênfase apenas ao lado de quem consome, mas e de quem faz o upload e tudo mais? O que dizer?

igor_queiroz_manga_de_berserk_volume_37.2014.02.11Bem, quem acabou amargamente descobrindo o que acontece com quem distribui por aí material licenciado sem permissão foi um senhor japonês desempregado, que no auge dos seus 47 anos, foi detido pela unidade de crimes cibernéticos (quase a polícia cibernética ou “cyber police“, que o finado pai da implacável Jessi Slaughter falou com toda a pompa e circunstância.) da polícia da província de Fukuoka, Japão. De acordo com a Association of Copyright for Computer Software (ACCS) – Associação de Direitos Autorais para Softwares de Computador -, o tiozão fez upload do 37º volume do mangá de Berserk por volta do dia 08 de Abril de 2013. Além disso, ele também é suspeito de fazer upload de mais de 1000 arquivos de mangá e outros trabalhos. No dia da prisão a polícia confiscou o computador pessoal do indivíduo, assim como seu HD e outros materiais. Talvez a parte mais extraordinária da notícia, seja a pseudo defesa do cidadão, que admitiu ter feito o que fez, achando ser o que deveria ser feito, com a seguinte frase: “Eu pensava que eu não deveria apenas fazer o download, mas também fazer o upload.“. Esse que vos escreve só tem uma coisa a dizer para o tiozão: As consequências nunca mais serão as mesmas!

[via ANN]