Kung Fury é coisa linda de Thor 1


17 Flares Facebook 4 Twitter 9 Google+ 4 Pin It Share 0 Email -- 17 Flares ×

igor_queiroz_kung_fury.2014.01.07Sabe aqueles filmes independentes que você bate o olho no trailer e deseja assistir o quanto antes? Kung Fury é exatamente isso e muito mais. Não por que Kung Fury é um proeminente drama digno de manly tears (mas se chorares, não te preocupes, eu te perdoo), não por que a produção do filme faria James Cameron se sentir avarento, nem mesmo por que o seu elenco é composto por renomados nomes(sic) da indústria cinematográfica. Não. O grande trunfo de Kung Fury é a sua total despretensão de ser levado a sério, trazendo elementos que farão qualquer nerd saudosista dos anos 80 ir até Asgard e voltar de tão empolgado que ficará. Querem ter noção da fodacidade que é esse filme?

Para começar temos um visual completamente e propositalmente anos 80, trazendo todos aqueles elementos mais clichês dos filmes policiais dessa época. Como isso por si só não seria motivo para tanto alvoroço da minha parte, o restante dos elementos que compõe essa pérola é que fazem toda a diferença, a começar pela suspensão de realidade ligada no máximo e sem nenhum pingo de vergonha de ser assim. Não entenderam bulhufas? Imaginem que nos primeiros segundos do trailer abaixo um carro de polícia é lançado aos ares por um grupo de Punks que o fazem apenas dando um belo pisão em um skate. Entenderam o nível da película? Somem isso a um policial renegado com uma faixa vermelha na cabeça Rambo/Ryu Like, pilotando uma Lamborghini e dando um salto inimaginável com essa mesma Lamborghini, subindo nela e finalmente descendo com uma rajada de tiros de pistola nos tais Punks. Esse policial é homônimo ao título do filme, que obviamente se chama Kung Fury. Sua missão? Derrotar o grande vilão Adolf Hitler, também conhecido como Kung Führer. Além disso ainda temos um hacker com uma luva tão galhofa quanto tudo existente nesse filme, que de alguma forma tem conhecimentos de como voltar no tempo. Como todo programador que se preze, seu sistema revolucionário buga, e o infeliz Kung Fury vai parar na era dos vikings, que além de ter uma genuína viking loira armada com uma submetralhadora (mas hein?), tem nada mais nada menos do que o muthafuckin’ deus asgardiano Thor. Além de tudo isso, ainda tem a ilustre presença de um T-Rex (não me perguntem o porquê).

igor_queiroz_kung_fury_viking_babe.2014.01.07

Todo nonsense que a sua vida nerd precisa

Bem, Kung Fury, como já se pode imaginar, é um projeto totalmente independente de qualquer megacorporação Capsule financiadora, contando inicialmente apenas com a sua campanha no Kickstarter, que inclusive já atingiu seu valor desejado de U$ 200.000 obamas, estando até o momento desse post com o valor financiado de mais de 466.000 doletas. Como toda campanha no Kickstarter é mutável, essa não poderia deixar de ser, e eles estão prometendo transformar o que inicialmente era apenas um curta metragem de 30 minutos em um longa metragem. Claro que isso só será feito se eles atingirem o valor financiado de 1 milhão de dólares, o que teoricamente é absolutamente possível, já que ainda restam 17 dias para acabar a campanha e eles já possuem quase a metade do valor.

Kung Fury é uma produção sueca e tem em seu elenco David Sandberg como “Kung Fury”, Joanna Häggblom como “Viking Babe”, Leopold Nilsson como “Hacker Man”, Andreas Cahling como “Thor” e Per-Henrik Arvidius como “Chief” e terá seu curta metragem de 30 minutos distribuído gratuitamente para toda a interwebs. Esse que vos escreve tem fortes esperanças de que esse projeto consiga o financiamento necessário para se tornar um longa. Sério mesmo.

[via Jovem Nerd]